Fórumcast, o podcast da Fórum
29 de junho de 2019, 16h05

Bolsonaro reclama com Merkel e Macron por “psicose ambientalista” contra o Brasil

Os líderes europeus manifestaram recentemente sua preocupação com as políticas ambientais do governo brasileiro, e o presidente francês chegou a colocar em risco o recente acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia caso Bolsonaro abandone o Acordo Climático de Paris, como vem ameaçando.

Bolsonaro e Angela Merkel (Montagem)

Os questionamentos europeus à política ambientalista do governo brasileiro tem sido um dos problemas de Jair Bolsonaro durante a reunião do G20, durante este fim de semana, em Osaka (Japão). Na conversa que teve com chanceler alemã, Angela Merkel, ele reclamou pelo que considera uma “psicose ambientalista” que a Europa estaria usando contra o Brasil.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

Dias antes de viajar ao Japão, a líder alemã falou sobre sua “grande preocupação” com respeito às medidas e às ideias do governo de Bolsonaro sobre o meio ambiente, e ressaltou que abordaria esse tema durante o evento que reuniria os mandatários.

Porém, não foi somente Merkel que mostrou suas ressalvas com respeito ao presidente brasileiro. O francês Emmanuel Macron também tem declarado que a ameaça de Bolsonaro de abandonar o Acordo Climático de País pode gerar consequências ruins para a relação entre os dois países e inclusive poderia levar a uma reviravolta no acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia – recentemente anunciado como o grande troféu diplomático do atual governo, embora ainda se desconheça se os termos do acordo são favoráveis ou não ao Brasil.

A resposta de Bolsonaro a esse respeito foi de que também conversou com Macron, no mesmo tom que usou com Merkel: “eu o convidei para conhecer a região amazônica (…) para ele ver que não existe o desmatamento tão propalado”.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum