Ouça o Fórumcast, o podcast da Fórum
29 de outubro de 2019, 06h32

Carlos Bolsonaro publica trecho do filme “Piranha”, após Bolsonaro apagar vídeo de leão

Atribuída ao filho, a publicação de um vídeo em que Bolsonaro é comparado a um leão sendo atacados por "hienas" da Globo, do PSL e do STF gerou polêmica e foi apagada das redes

Carlos Bolsonaro publicou cena do filme Piranha (Montagem)

Acusado – mais uma vez – de ser o responsável pela publicação do vídeo em que o pai, Jair Bolsonaro (PSL), é comparado a um leão lutando contra hienas identificadas como Globo, STF e PSL, entre outros, o vereador licenciado Carlos Bolsonaro (PSC) publicou na noite desta segunda-feira (28) um trecho da sátira de terror Piranha, produzida em 1978, em que duas mulheres são atacadas por cardume do peixe.

O vereador ainda se mostrou irritado com a jornalista da Folha de S.Paulo, Mônica Bergamo, que postou um tuíte irônico compartilhando crônica de humor que diz que “Carluxo, indicado para a embaixada de Hollywood pelo pai, posta video em que hienas atacam Pavão Misterioso”.

“Fakenews! A narrativa de vocês condiz com o caráter!”, comentou o vereador.

Leão
Não ficou mais de duas horas no ar a publicação feita nesta segunda-feira (28) do vídeo em que Jair Bolsonaro se comparava a um leão cercado por hienas que queriam atacá-lo. Após repercussão negativa, o tuíte foi apagado das redes do presidente.

O caso gerou mal-estar até mesmo no Supremo Tribunal Federal (STF), classificado como uma das “hienas” que atacam o “leão Bolsonaro”. Decano da corte, o ministro Celso de Mello afirma que Bolsonaro desconhece a separação dos poderes e que tem medo de um Judiciário independente.

“Esse comportamento revelado no vídeo em questão, além de caracterizar absoluta falta de ‘gravitas’ e de apropriada estatura presidencial, também constitui a expressão odiosa (e profundamente lamentável) de quem desconhece o dogma da separação de poderes e, o que é mais grave, de quem teme um Poder Judiciário independente e consciente de que ninguém, nem mesmo o Presidente da República, está acima da autoridade da Constituição e das leis da República”, diz o magistrado em trecho da nota enviada à Folha.

Segundo nota na coluna de Mônica Bergamo, na mesma Folha nesta segunda-feira (29), ministros do STF acionaram o presidente da corte, Dias Toffoli, cobrando uma posição mais dura dos magistrados em relação aos “excessos” do presidente.

Reservadamente, os magistrados atribuem a publicação a Carlos Bolsonaro. Dizem, porém, que a responsabilidade é do pai, não só sobre a conta, mas sobre o teor do que é postado nela.

Notícias relacionadas


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum