Com governo terceirizado para o Centrão, Bolsonaro fica 46 minutos de papo-furado com apoiadores

Sem muito o que fazer, Bolsonaro contou anedotas e repetiu velhos chavões - como a ladainha de que é "imbrochável, imorrível e incomível". Na agenda da manhã, presidente ainda ficou 20 minutos em entrevista para rádio do interior da Bahia

Com o governo terceirizado para o Centrão, após a nomeação e a carta branca a Ciro Nogueira (PP-PI) na Casa Civil, Jair Bolsonaro (Sem partido) ficou pelo menos 46 minutos de papo-furado com apoiadores no cercadinho montado no Palácio da Alvorada na manhã desta quarta-feira (28).

Vídeo: Bolsonaro sinaliza filiação ao PP, elogia Ciro Nogueira e diz que Ramos é “nota 9”

O tempo é referente ao vídeo editado que foi publicado nas redes sociais pelo perfil bolsonarista que tem entrada liberada ao local. Portanto, Bolsonaro deve ter ficado ainda mais com os apoiadores, que pedem para tirar fotos e expõem problemas e desejos pessoais.

Em sua conversa, Bolsonaro contou anedotas e repetiu velhos chavões – como a ladainha de que é “imbrochável, imorrível e incomível”.

Ele também fez a defesa, mais uma vez, do voto impresso e anunciou uma “bomba” sobre levar um suposto hacker para revelar “provas” sobre fraudes nas eleições de 2014.

Além disso, o presidente aproveita o tempo para se gabar de supostos feitos de seu governo e atacar adversários, como os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Lula, além de integrantes da CPI do Genocídio.

Além da quase uma hora com apoiadores, Bolsonaro gastou outros 20 minutos de sua manhã em entrevista à rádio Cidade Luis Eduardo Magalhães, da Bahia.

Segundo ele, as entrevistas diárias é uma nova estratégia de sua pré-campanha. “O que estou fazendo diariamente? Uma entrevista para rádio local, uma rádio que atenda uma região nossa”.

Publicidade
Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR