“Chega de frescura, de mimimi. Vão ficar chorando até quando?”, diz Bolsonaro diante do recorde de mortos por Covid

"A própria Bíblia diz, em 365 citações, não temas", disse Bolsonaro para justificar sua tese contra o isolamento social

Em pronunciamento nesta quinta-feira (4), um dia após o Brasil bater novo recorde de mortos pela Covid-19, com 1.910 mortos em 24 horas, Jair Bolsonaro (Sem partido) classificou como “frescura” e “mimimi” as medidas de isolamento para contenção da propagação do coronavírus e, em afronta às famílias dos mais de 258 mil mortos pela doença, disse que é hora de parar de chorar.

Notícias relacionadas

Ao se dirigir a produtores rurais, Bolsonaro elogiou porque eles não teriam entrado em isolamento social e disparou.

“Vocês não ficaram em casa. Não se acovardaram. Nós temos que enfrentar os nossos problemas. Chega de frescura, de mimimi. Vão ficar chorando até quando?”, indagou o presidente.

Na sequência, Bolsonaro usou a Bíblia para embasar sua fala. “A própria Bíblia diz, em 365 citações, não temas. Eu sou católico, acredito em Deus, respeito as outras religiões. Mas, se ficarmos em casa o tempo todo e dizer que a economia a gente vai ver depois… Uma parte a gente está vendo agora o que foi essa política. Qual o futuro do Brasil?”, disse.

Diante da inação do governo federal, Bolsonaro voltou a classificar como “errado o tratamento do Covid” ao falar sobre os “efeito colateral” na economia, repetindo que é muito mais danoso que o próprio vírus.

Assista (a partir de 1h27)

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Você pode estar junto nesta luta.

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR