Fórumcast, o podcast da Fórum
12 de agosto de 2019, 10h24

Com Bolsonaro e Paulo Guedes, retração na economia leva o país à recessão técnica

Como o nível de atividade já havia recuado nos três primeiros meses de 2019, em relação ao último trimestre de 2018, a economia entrou em uma recessão técnica

Foto: Marcelo Casal Jr /Agência Brasil

Em tempo de Jair Bolsonaro e Paulo Guedes, a economia brasileira teve retração de 0,13% no segundo trimestre de 2019, de acordo com o Índice de Atividade Econômica (IBC-Br). O dado é uma espécie de “prévia” do Produto Interno Bruto (PIB), divulgado pelo Banco Central (BC) nesta segunda-feira (12).

A queda entre abril e junho deste ano foi verificado na comparação com o primeiro trimestre de 2019.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo.

Como o nível de atividade já havia recuado 0,2% nos três primeiros meses de 2019, em relação ao último trimestre de 2018, a economia entrou em uma recessão técnica, o que acontece quando há retração por dois trimestres seguidos de queda do PIB.

Conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na recessão técnica é considerada a possibilidade de recuperação rápida. Na recessão de fato, o cenário econômico se deteriora significativamente, existem alta do desemprego e dos índices de falência, queda da produção e do consumo.

O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia.

Esperado

O resultado negativo já era esperado por economistas. Isso porque os componentes do PIB já haviam indicado atividade em baixa no período.

O setor de serviços registrou retração de 0,6% no segundo trimestre, a produção industrial caiu 0,7% e as vendas do comércio caíram 0,3%.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum