Entrevista exclusiva com Lula
11 de novembro de 2019, 08h47

Com Lula livre, Bolsonaro se aproxima da Globo e dá entrevista exclusiva para falar sobre a Bolívia

"A palavra golpe é usada muito quando a esquerda perde, né? Quando eles ganham, é legítimo. Quando eles perdem, é golpe", disse Bolsonaro, que foi aconselhado a mudar de postura em relação à Rede Globo para evitar que a família Marinho caia no colo da esquerda

Foto: Marcos Corrêa/PR

Aconselhado a mudar a postura em relação à Globo durante reunião com a cúpula militar do governo no sábado (9) de manhã, após o ex-presidente Lula retomar a liberdade, Jair Bolsonaro deu uma entrevista exclusiva, por telefone, ao jornal O Globo para negar que a deposição violenta de Evo Morales na Bolívia, que decidiu renunciar ao cargo, seja golpe.

“A palavra golpe é usada muito quando a esquerda perde, né? Quando eles ganham, é legítimo. Quando eles perdem, é golpe. Eu não vou entrar nessa narrativa deles aí. A esquerda vai falar que houve golpe agora”, disse Bolsonaro ao jornal da família Marinho.

No sábado (9), antes do ex-presidente Lula discursar em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Bolsonaro convocou uma reunião de urgência, fora da agenda, com a alta cúpula militar no Palácio da Alvorada.

Participaram o ministro de Estado da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva; o ministro-chefe da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira; o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno; o comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Ilques Barbosa Junior; o comandante do Exército, general Edson Leal Pujol; e o comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro do ar Antonio Carlos Moretti Bermudez.

Pouco depois do fim da reunião, por volta das 13h Bolsonaro falou diretamente sobre Lula, tecendo críticas ao ex-presidente: “A grande maioria do povo brasileiro é honesto, trabalhador, e não vamos dar espaço e contemporizar com presidiário”, declarou, ao deixar o Palácio da Alvorada.

Bolsonaro teria sido orientado a mudar de postura com a emissora da família Marinho “para não jogar a Globo no colo da esquerda”. A estratégia é amenizar os ataques e deixar de dizer que a emissora é “petista”.

Paz e amor
Na entrevista a O Globo, Bolsonaro ainda mudou sua postura agressiva, dizendo que não é bom “esse tipo de movimento” e defendeu a volta do voto impresso no Brasil.

“Não é bom acontecer esse tipo de movimento. Eu sei que lá foi contra a esquerda, mas a gente não quer nem contra a esquerda nem contra a direita. A gente quer que, acabou, tem dúvida, vai lá e conta, abre a urna lá, o voto impresso e conta”, disse.

Segundo ele, a falta de um sistema seguro de votação na Bolívia teria levado ao golpe em Evo Morales.

“Só vou dar uma observação sobre o que levou à renúncia do Evo Morales: um sinal que nós aqui no Brasil precisamos de um sistema de votação seguro. Esse que está aí não serve. Esse que está aí leva a esse tipo de problema”, disse Bolsonaro.

Notícias relacionadas


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum