Comissão da Câmara convoca Braga Netto para explicar ameaça às eleições

"A suposta ameaça, se confirmada, se constitui em grave crime praticado contra o sistema democrático", diz o deputado Rogério Correia, autor do requerimento

A Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público (CTASP) da Câmara Federal aprovou na manhã desta terça-feira (3), por 15 votos a 7, a convocação do ministro da Defesa, Walter Braga Netto, para explicar supostas ameaças às eleições de 2022 reveladas em reportagem pelo jornal O Estado de S.Paulo.

“A suposta ameaça, se confirmada, se constitui em grave crime praticado contra o sistema democrático, definido constitucionalmente, fato este que precisa ser apurado pelo Parlamento brasileiro e demais órgãos estatais de investigação e controle e, se comprovada a ameaça, adotar as providências cabíveis”, diz o requerimento de convocação, protocolado pelo deputado Rogério Correia (PT-MG).

A reportagem afirma que Braga Netto teria intimidado o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), ao enviar um recado no qual teria dito que sem a aprovação do voto impresso, as eleições marcadas para o próximo ano não aconteceriam.

Braga Netto também será intimado pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, para se explicar sobre o caso. Ele nega a denúncia.

Apesar da negativa do ministro, a informação gerou inúmeras iniciativas de parlamentares, entre elas as quatro ações que Gilmar Mendes enviou à PGR. As ações foram apresentadas pela deputada Natália Bonavides (PT-RN), pelos deputados Bohn Gass (PT-RS), Paulo Teixeira (PT-SP), Alexandre Frota (PSDB-SP) e pelo advogado Ronan Wielewski Botelho.

Notícias relacionadas

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.