Coronavírus e declarações de Bolsonaro aprofundam crise econômica no Brasil, diz Marcio Pochmann

Nesta quarta-feira, o principal índice da Bolsa de Valores opera em forte queda, enquanto o dólar atingiu pela primeira vez o patamar de R$ 4,44

A nova conjuntura desenhada nesta quarta-feira (26) que agrega a chegada do Coronavírus ao Brasil e as declarações de Jair Bolsonaro, confirmando ter disparado uma convocação do ato de 15 de março que pede o fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal (STF), devem aprofundar ainda mais a crise econômica no País.

Na abertura da bolsa de valores após o carnaval, o principal índice, B3, opera em forte queda, enquanto o dólar atingiu pela primeira vez o patamar de R$ 4,44. Às 14h29, o Ibovespa recuava 5,57%, a 107.353 pontos.

“Coronavírus e declarações de Bolsonaro podem jogar o país em novo decrescimento econômico”, avalia o economista, pesquisador e professor da Unicamp, Marcio Pochmann.

Para ele, o cenário atual só deve acentuar o impacto negativo causado pela política neoliberal de Paulo Guedes e deve resultar, principalmente, em perdas para os trabalhadores e a população mais pobre.

“A economia brasileira está impactada pelo receituário neoliberal em curso. O seu aprofundamento recente não permitiu, nem permitirá, a recuperação sustentada do nível de produção e emprego decente, muito menos a desconcentração da riqueza e renda nacional. O governo Bolsonaro e os porta vozes do dinheiro sabem disso, porém não admitem. Por isso a busca intensa de justificativas para a continuidade dos infortúnios acumulados pela gestão neoliberal da economia brasileira”, disse Pochamann à Fórum.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.