quinta-feira, 1 out 2020
Publicidade

Denúncia de Ciro Gomes pode ter levado à renúncia de presidente do BB; veja vídeo

A jornalista Hildegard Angel compartilhou em suas redes sociais uma denúncia feita por Ciro Gomes (PDT-CE) em live que pode ter sido o estopim para o pedido de demissão de Rubem Novaes da presidência do Banco do Brasil.

Na entrevista, Ciro denuncia o “roubo moderno”, como ele classifica, praticado dentro do Banco do Brasil, que teria vendido papéis de empréstimos no valor de R$ 3 bilhões por cerca de R$ 300 milhões ao BTG Pactual, banco fundado por Paulo Guedes, ministro da Economia.

“O Banco do Brasil agora, essa semana, pegou R$ 3 bilhões de papel para receber que ele tem e vendeu para um banco criado por Paulo Guedes chamado BTG por trezentos e poucos milhões de reais. Sem licitação. Ninguém sabe porque foi trezentos, não foi duzentos, nem quinhentos, sendo que o BTG levou uma carteira de haveres de R$ 3 bilhões, com ‘B’ de bola”, diz Ciro na live.

O pedetista ainda afirma que nunca o Banco do Brasil havia feito algo semelhante em sua história e denuncia uma séria de negociatas privatistas envolvendo a Petrobras. “Estão roubando de braçada. É um negócio absolutamente escandaloso o governo do ‘seu’ Jair Bolsonaro”, conclui.

Em nota emitida nesta sexta-feira (25), o Banco do Brasil (BB) “comunica que o Sr. Rubem de Freitas Novaes entregou ao Exmo. Sr. Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro e ao Exmo. Ministro da Economia, Paulo Roberto Nunes Guedes, pedido de renúncia ao cargo de presidente do BB, com efeitos a partir de agosto, em data a ser definida e oportunamente comunicada ao mercado, entendendo que a Companhia precisa de renovação para enfrentar os momentos futuros de muitas inovações no sistema bancário”.

Plinio Teodoro
Plinio Teodoro
Plínio Teodoro Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.