sexta-feira, 30 out 2020
Publicidade

Denunciado pela Lava Jato, presidente do PP indicou a Bolsonaro nome de magistrado para o STF

Pelo Twitter, Ciro Nogueira, que foi denunciado pela Lava Jato por receber mais de R$ 7 milhões em propina, comemorou a notícia da indicação do amigo Kassio Nunes à vaga no STF por Bolsonaro

Após a Procuradoria-Geral da República esvaziar a operação Lava Jato, agora foi a vez de Jair Bolsonaro atuar para enterrar de vez a força-tarefa em outra frente de batalha: o Supremo Tribunal Federal (STF).

Indicado por Bolsonaro para ocupar a vaga de Celso de Mello na corte – segundo informação de Lauro Jardim, em O Globo -, o desembargador Kassio Nunes é amigo de longa data e foi indicado pelo senador Ciro Nogueira, presidente do PP, partido que teve mais nomes investigados pela Lava Jato e agora atua como uma das principais estruturas da base de Jair Bolsonaro no Congresso.

O próprio Ciro Nogueira já foi denunciado pela Lava Jato, em fevereiro de 2020, por receber R$ 7,3 milhões da Odebrecht, que seria propina em troca de benefícios à empresa.

Segundo informações de Bela Megale, no jornal O Globo, o piauiense Ciro Nogueiro é conterrâneo e amigo de Kassio Nunes e, no ano passado, disse em entrevistas que “tinha certeza” de que o desembargador chegaria aos mais altos tribunais, como o Superior Tribunal de Justiça (STJ) e o Supremo.

Comemoração
Pelo Twitter, Ciro Nogueira comemorou a provável indicação de Kassio Nunes ao STF por Bolsonaro.

“Sem dúvida, a escolha do presidente Jair Bolsonaro seria um gesto de reconhecimento da capacidade do povo do Piauí e de todo o Nordeste”, afirmou.

Plinio Teodoro
Plinio Teodoro
Plínio Teodoro Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.