domingo, 20 set 2020
Publicidade

Em novo golpe contra o trabalhador, governo quer reduzir salário e facilitar demissão de servidores

O arrocho contra a os trabalhadores, promovido pelo governo de Jair Bolsonaro deve atacar mais um setor. Após as reformas trabalhista e da Previdência, o ministro da Economia Paulo Guedes e sua equipe preparam mais um golpe para a população, especialmente os servidores públicos.

Entre as medidas que deverão ser encaminhadas pelo governo estão a redução dos salários de entrada e a reestruturação da progressão para que o servidor só chegue ao teto no fim da carreira, de acordo com informações de Antonio Temóteo e Ricardo Marchesan, do UOL.

Últimos dias para você apoiar a grande reportagem da Fórum no rastro do Óleo das Praias do Nordeste. Bora contribuir!

O governo quer estabelecer novas regras para contratação de servidores, definir salários iniciais mais próximos aos do setor privado, endurecer as regras para promoções, flexibilizar o processo de demissão e reduzir o número de carreiras.

O projeto deve ser anunciado ainda esta semana e para entrar em vigor terá de passar pela Câmara e pelo Senado Federal.

Categorias

No que se refere à estabilidade dos servidores, a proposta do governo é, depois de dois anos, os funcionários aprovados em concurso seriam divididos em três categorias: sem estabilidade (podendo ser demitidos sem justa causa), com estabilidade (para carreiras específicas, sujeitas a pressões, como auditores) e por tempo determinado (em que não é possível seguir carreira e há um limite máximo de tempo no cargo).

As alterações só afetariam novos servidores. Os trabalhadores que já estão na ativa não seriam atingidos, por terem direito adquirido.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.