Entrevista exclusiva com Lula
28 de novembro de 2019, 06h39

Embaixador fala em “converter aqueles que não têm uma religião” ao expor visão de mundo do Itamaraty

Secretário de Assuntos de Soberania Nacional e Cidadania do Itamaraty, embaixador Fabio Mendes Marzano participou de evento sobre perseguição ao cristianismo organizado pelo governo de extrema-direita de Viktor Orban, na Hungria

Fabio Mendes Marzano (à esquerda) em evento com Ernesto Araújo (Reprodução/Facebook)

Em conferência internacional organizada pelo governo de extrema-direita de Viktor Orban em Budapeste, na Hungria, o secretário de Assuntos de Soberania Nacional e Cidadania, embaixador Fabio Mendes Marzano, disse que “uma das principais mudanças conduzidas pelo governo Bolsonaro foi exatamente colocar a religião no processo de formulação de políticas no Brasil”.

“Essa perseguição que está ocorrendo não é um acidente. Ela está ocorrendo de uma forma sistemática e organizada, e muito bem planejada. Mas hoje, está sendo ameaçados na base, nos principais valores, por inimigos muito bem organizados”, disse Marzano no evento, que leva o nome de Segunda Conferência Internacional de Perseguição do Cristianismo.

Marzano, que falou em uma sessão dedicada à mudança de paradigma nas relações exteriores, defendeu o “banimento do politicamente correto” e a “conversão” de pessoas que não têm religião.

“Portanto, o que temos de fazer é estressar que a liberdade religiosa não é somente o direito de praticar uma religião. Mas o direito de se manifestar, debater e defender a fé. E mesmo de tentar converter aqueles que não têm uma religião. Claro, não pela força. Mas os mostrando a verdade, a verdade real”, afirmou.

O discurso e a mudança de posicionamento do Itamaraty contraria a própria Constituição Brasileira, que confirma o caráter laico do Estado.

Com informações do blog do Jamil Chade

Notícias relacionadas


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum