quinta-feira, 1 out 2020
Publicidade

Ex-secretário do Tesouro de Bolsonaro, Mansueto Almeida se torna sócio de banco fundado por Guedes

Menos de um mês após oficializar sua saída da Secretaria do Tesouro do governo Jair Bolsonaro, Mansueto Almeida foi anunciado com pompas como novo sócio e economista-chefe do banco BTG-Pactual nesta segunda-feira (10). A instituição foi fundada por Paulo Guedes, ministro da Economia, investigado por fraudes que chegam a R$ 1 bi envolvendo fundos de pensões das estatais.

Mansueto, no entanto, só deve começar a trabalhar no BTG Pactual em janeiro de 2021, após cumprir quarentena do serviço público.

Técnico de Planejamento e Pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Mansueto chegou a atuar na campanha de Aécio Neves (PSDB-MG) à Presidência nas eleições de 2014 na elaboração do programa econômico do tucano.

Em 2018, foi alçado por Michel Temer à Secretaria do Tesouro e mantido por Bolsonaro no cargo até pedir demissão, no mês passado.

No Twitter, Guilherme Boulos, líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e pré-candidato a prefeito de São Paulo pelo PSOL, ironizou o fato.

“Mansueto, que foi secretário de Tesouro de Bolsonaro e um dos criadores do teto de gastos de Temer, vai virar economista-chefe do banco fundado por Paulo Guedes. Depois de cuidar do galinheiro, a raposa volta à caça”, tuitou Boulos.

Plinio Teodoro
Plinio Teodoro
Plínio Teodoro Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.