Governo Bolsonaro nomeia militar investigada por espionar governo do PT

Alvo da CPI da Arapongagem, em 2012, a tenente-coronel Soraya Barbosa Sales de Almeida será coordenadora-geral de informação da Secretaria Especial de Relações Institucionais

Investigada na CPI da Arapongagem, em 2012, a tenente-coronel da Polícia Militar do Distrito Federal, Soraya Barbosa Sales de Almeida foi nomeada coordenadora-geral de informação da Secretaria Especial de Relações Institucionais do governo de Jair Bolsonaro.

O cargo ocupado pela militar da reserva é considerado estratégico e uma de suas atribuições é supervisionar as respostas dos pedidos de informações de responsabilidade da Secretaria de Governo, além de assessorar o ministro chefe no contato com o Senado e a Câmara.

Soraya atuou na Secretaria de Segurança Pública do Governo do Distrito Federal, na gestão de Agnelo Queiroz (PT). Ela era analista de inteligência. Porém, foi exonerada por suspeita de ser infiltrada de adversários políticos do então governador.

À época, as investigações foram conduzidas pela extinta Divisão Especial de Repressão aos Crimes contra a Administração Pública (Decap).

Gravações clandestinas

As apurações identificaram que, em novembro de 2011, a equipe de Soraya teria gravado, clandestinamente, imagens no gabinete de Agnelo e entregue a adversários políticos do petista.

O caso foi parar na CPI da Arapongagem na Câmara Legislativa do DF, mas acabou arquivado.

Com informações do Metrópoles

Publicidade
Avatar de Lucas Vasques

Lucas Vasques

Jornalista e redator da Revista Fórum.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR