Governo Bolsonaro vai acabar com a desoneração da cesta básica

Secretário especial da Receita Federal, José Barroso Tostes Neto, anunciou em entrevista a criação de um novo imposto, que unifica o PIS e o Cofins, para por fim à desoneração, que vai resultar no aumento de preço da cesta básica

Em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo nesta segunda-feira (18), o secretário especial da Receita Federal, José Barroso Tostes Neto, anunciou que o governo Jair Bolsonaro vai acabar com a desoneração da cesta básica, encarecendo os alimentos que fazem parte da lista de benefícios.

Seguindo ordens de Paulo Guedes, ministro da Economia, Tostes Neto – que substituiu Marcos Cintra – afirma que a ideia é criar um novo imposto, chamado Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS), unificando o PIS (Programa de Integração Social) e a Cofins (Contribuição para o Financiamento de Seguridade Social), acabando com todas as isenções dadas a determinados produtos ou serviços, entre elas as da cesta básica.

Tostes Neto disse ainda que, em casos específicos – como das cestas básicas -, haverá algum tipo de compensação, mas nenhum tipo de benfício fiscal.

Se houver necessidade comprovada de que há situação que mereça tratamento específico. Haverá um reembolso do tributo, por exemplo, à população de baixa renda. O imposto será devolvido individualmente, para beneficiários de programas sociais, como o Bolsa Família. Hoje, até o salmão faz parte da cesta básica. Quando você desonera os produtos da cesta, todo mundo pode comprar sem imposto. E quem mais compra? Quem tem mais poder aquisitivo. Esse benefício acaba sendo altamente regressivo. A ideia é cobrar o imposto e devolver só para a baixa renda”, afirmou.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR