No rastro do óleo do Nordeste
07 de novembro de 2019, 07h34

Governo quer acabar com direito de preferência da Petrobras após fracasso do megaleilão do pré-sal

A Petrobras e as estatais chinesas CNOOC e CNODC foram as duas empresas que apresentaram ofertas. Nesta quinta-feira (7), o governo realiza um novo leilão de partilha, quando serão ofertados cinco blocos exploratórios, sendo um na Bacia de Campos e quatro na Bacia de Santos

Bento Albuquerque, ministro de Minas e Energia, e Paulo Guedes (Reprodução/Flickr)

Após o fracasso do chamado megaleilão de quatro campos do pré-sal – com dois deles sendo arrematados pela Petrobras e os outros ficando sem oferta – o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou que o governo fará mudanças nas regras dos leilões para estimular a participação das grandes petrolíferas, que ficaram do evento desta quarta-feira (6).

Segundo ele, o governo Jair Bolsonaro pode até mesmo revogar o chamado “regime de partilha”, que dá direito de preferência à Petrobras na aquisição e exploração das áreas.

“Não adianta ter um regime que é o melhor para a União tecnicamente em termos de números, mas, se não tiver ofertante e não conseguir colocar os campos em produção, não valeu”, afirmou Albuquerque, em entrevista ao jornal O Globo.

Com a mudança proposta, as áreas poderão ser leiloadas em regime de concessão, sem a participação da Petrobras.

A Petrobras e as estatais chinesas CNOOC e CNODC foram as duas empresas que apresentaram ofertas no leilão desta quarta-feira (6).

O resultado frustrou expectativas de arrecadação, que ficou em R$ 69,9 bilhões, cerca de 34% abaixo do esperado, e desagradou o mercado financeiro, que derrubou as ações preferenciais da Petrobras, que chegaram a cair 5% durante o dia.

Bolsonaro, no entanto, tentou minimizar o fracasso. “Sem frustração, estamos fazendo nosso trabalho, o dinheiro é bem-vindo”, afirmou ao deixar o Palácio da Alvorada à noite.

Novo leilão
Nesta quinta-feira (7), o governo realiza um novo leilão de partilha em um hotel na zona oeste do rio de Janeiro.

Neste leilão, serão ofertados cinco blocos exploratórios, sendo um na Bacia de Campos e quatro na Bacia de Santos, onde também estavam os quatro blocos ofertados nessa quarta-feira.

Assim como nas demais rodadas de licitação de blocos do pré-sal, realizadas sob o regime de partilha, o valor do bônus de assinatura é fixo.

A Petrobras exerceu o direito de preferência por três das cinco áreas ofertadas Aram, Sudoeste de Sagitário e Norte de Brava. Isso significa que a estatal poderá, caso não arremate estas áreas, compor consórcio com a vencedora com participação mínima de 30%, o que a torna operadora do bloco.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum