Infectologista que assessora Pazuello e orientou protocolo de cloroquina terminou residência em 2018

Laura Tiriba Appi, principal assessora técnica de Pazuello no Ministério da Saúde, concluiu a residência em infectologia em março de 2018, mesmo mês em que entrou no Exército, onde atua como primeiro-tenente e médica especialista

Alçada ao Ministério da Saúde pelo general Eduardo Pazuello, especialista em logística, para ser sua principal assessora em assuntos técnicos relacionados à pasta, a infectologista Laura Tiriba Appi, primeiro-tenente do Exército, terminou sua formação há pouco mais de dois anos, quando diz ter concluído a residência médica em infectologia na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Segundo informações do linkedin, a médica concluiu a residência em março de 2018 e no mesmo mês entrou para o Exército brasileiro como “médico especialistas”. Laura Tiriba Appi cursou Medicina entre 2009 e 2014 na mesma universidade pública fluminense.

Laura teria assessorado Pazuello durante live em que conversava com Jair Bolsonaro sobre novas doenças no mundo na década de 80. Na ocasião, Bolsonaro disse que Tamiflu – medicamento usado para a gripe influenza – era usado no tratamento da Aids.

Pazuello então teria consultado a médica, que não aparece no vídeo, para corrigir a informação, de que é o AZT que foi usado para o tratamento da Aids.

Segundo reportagem da Veja, Laura é uma “espécie de faz-tudo do ministro interino: atuou na prospecção para a compra de respiradores, acompanha-o em viagens e reuniões, ajuda desde a decifrar estudos científicos”.

Laura também teria orientado na mudança de protocolo que prevê a prescrição de hidroxicloroquina e azitromicina para o coronavírus quando ela foi oficialmente nomeada assessora de Pazuello, segundo o portal Jota.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR