Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
02 de setembro de 2019, 18h07

Ladeira abaixo: Insatisfação com Bolsonaro aparece em quatro institutos de pesquisa diferentes

Datafolha, XP/Ipespe, Vox Populi e CNT/MDA demonstram queda na aprovação e disparada na reprovação do governo de Jair Bolsonaro

Jair Bolsonaro (Foto: Marcos Corrêa/PR)

Especialistas alertam para o fato de que pesquisas de opinião de institutos diferentes não devem ter seus números consolidados comparadas entre si devido às diferenças metodológicas, mas, sim, o desenvolvimento gradual de cada uma delas. Observando as curvas apresentadas por quatro institutos (Datafolha, Ipespe, Vox Populi e MDA) que publicaram novos levantamentos nos últimos 7 dias, constata-se que Bolsonaro está realmente em queda na aprovação diante da opinião pública.

Avaliação negativa do governo

As duas mais recentes são a do tradicional Datafolha e a da Ipespe, encomendada pela XP Investimentos e mais ligada ao mercado financeiro. Nas duas há uma oscilação negativa parecida. A avaliação do governo como ruim/péssima saltou de 36%, em julho, para 43% no Datafolha. Enquanto no Ipespe a oscilação partiu de 35%, em julho, subiu para 38%, em agosto, e chegou a 41%, em setembro. No Datafolha, o ótimo/bom fica em 29%, enquanto no Ipespe o índice chega a 30%.

No Vox Poppuli, revelado na sexta-feira, o Ruim/Péssimo chegou a 40% após aparecer com 30% em abril, enquanto na pesquisa CNT/MDA, divulgada na segunda-feira da última semana, os números saltaram de 19%, em fevereiro, para 39,5%. Na CNT, a avaliação positiva despencou de 38,9% para 29,4%, enquanto no Vox Poppuli caiu de 26% para 23%.

Dessa maneira, em todos os levantamentos, a avaliação negativa do governo gira em torno de 40%, ultrapassando o índice nas duas pesquisas mais recentes. As avaliações positiva e, por consequência, a regular, são as que apresentam maiores diferenças.

Reprovação pessoal de Bolsonaro

A reprovação pessoal de Bolsonaro subiu de 33% para 38% no Datafolha, enquanto na pesquisa CNT/MDA ela foi de 28,2% para 57%. Já a Vox Poppuli mostrou uma oscilação de 28% para 44% de pessoas dizendo “não gostar” do presidente. Na XP/Ipespe, a opinião negativa sobre Bolsonaro subiu de 26% para 33%.

Queda do bolsonarismo e vitória de Fernando Haddad

As pesquisas também trouxeram questões sobre o bolsonarismo e as eleições de 2018. A VoxPoppuli apontou que o número de pessoas que se identifica como “anti-Bolsonaro” foi de 30%, em abril, para 47%, enquanto os bolsonaristas diminuíram de 34% para 23%. Já o Datafolha trouxe uma simulação do segundo turno das eleições de 2018, apontando uma vitória de Haddad por 6 pontos percentuais: 42% disseram votar no petista, 36% no atual presidente, 18% disseram que anulariam e outros 4% não souberam opinar. Nos votos válidos, a vitória seria de 53,8% contra 46,1%.

Quedas abruptas

O cientista político Alberto Carlos Almeida destaca que o governo passou por duas quedas abruptas na avaliação durante os oito primeiros meses, mas em nenhum momento deixou de cair.

“A avaliação negativa não parou de aumentar. Avaliação negativa: Aumento abrupto entre janeiro e abril; Aumento lento entre abril e julho; Aumento abrupto de julho para agosto. Vê-se por dentro da pesquisa, isto é, em função de outras perguntas realizadas e de seus resultados, que o eleitorado considera que Bolsonaro não está governando. Avaliação positiva: Queda abrupta entre janeiro e março; Estabilidade entre março e julho; Queda abrupta de julho para agosto. A queda abrupta da avaliação positiva em agosto é qualitativamente diferente da queda anterior: eleitores de Bolsonaro o abandonaram Sudeste e Sul se tornam menos resistentes ao discurso e à ação da oposição”, analisou Almeida.

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum