Pastor, Milton Ribeiro participa de culto em instituição privada e ignora Dia do Professor

Secretário de Alfabetização do MEC, Carlos Nadalim publicou vídeo em homenagem ao professor Eurico Back; patrono da Educação, Paulo Freire não foi citado

Ministro da Educação, o pastor Milton Ribeiro resolveu privilegiar o ensino privado no Dia dos Professores, comemorado nesta sexta-feira (15). Segundo sua agenda oficial, o líder da pasta tem compromisso de lançamento do LABCrie, às 11h, e depois deve participar por quase 4 horas em eventos do Mackenzie, incluindo um culto de 150 anos de comemoração da instituição.

Ainda terá a cerimônia de um prêmio, lançamento de um selo e carimbo filatélico e um ato cívico, marcado para as 20h. Até o momento, Milton Ribeiro segue em silêncio sobre o Dia dos Professores e apenas compartilhou, em suas redes sociais, um vídeo institucional do ministério que cita o secretário-executivo, Victor Godoy.

Notícias relacionadas

O secretário de Alfabetização do MEC, o olavista Carlos Nadalim, publicou um vídeo homenageando o professor Eurico Back, que lecionava em universidades do Paraná e morreu em 2003. Patrono da Educação Brasileira, Paulo Freire foi ignorado. Na mensagem, Nadalim deseja um “feliz Dia do Professor”, sobretudo aos que atuam na Educação Infantil e nos anos iniciais do Ensino Fundamental.

Além disso, exalta as formações onlines disponíveis na plataforma do MEC – uma das maiores defesas do governo de Jair Bolsonaro é o ensino à distância -, incluindo o curso Práticas de Produção de Texto, elaborado por Back.

“[O material] Se destinava originalmente à formação de professores no Estado do Paraná, na década de 70, e agora está em formato digital e acessível aos profissionais da educação de todo o país. Vejam como a influência e o impacto do trabalho de um professor podem transcender seu próprio tempo”, diz o secretário.

Avatar de Carolina Fortes

Carolina Fortes

Repórter colaborativa no site Emerge Mag e antiga editora-assistente no site da Jovem Pan. Ex-repórter no site Elástica. Formada em jornalismo e faz a segunda graduação em Letras na Universidade de São Paulo (USP). Acredita no jornalismo como forma de impacto social e defende maior inclusão e representatividade.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR