Governo Bolsonaro

Paulo Guedes desdenha de recessão técnica no Brasil: “conversa de maluco”

Dados divulgados pelo IBGE mostram que o Brasil vive uma recessão técnica após recuo do PIB por dois trimestres seguidos. Crise tem levado milhares de brasileiros de volta ao mapa da fome.

Compartilhar

Apostando todas as fichas na tentativa de reeleição de Jair Bolsonaro (PL) em 2022, o ministro da Economia, Paulo Guedes, negou os dados divulgados nesta quinta-feira (3) pelo IBGE que mostram que o Brasil vive uma recessão técnica após recuo do PIB por dois trimestres seguidos e desdenhou da crise que tem levado milhares de brasileiros de volta ao mapa da fome.

Notícias relacionadas

Nada encontrado

“O crescimento está contratado. A conversa de que o Brasil não vai crescer é uma conversa de maluco”, afirmou em palestra Airport National Meeting, encontro de empresários do setor de aeroportos, que têm grande interesse nas concessões feitas pelo ministro.

“O PIB caiu 0,1% e a Bolsa cresceu 3%. Se alguém estivesse levando a sério que o PIB vai cair, a Bolsa não estava subindo”, justificou, minimizando os dados do IBGE.

Em outra palestra, no 11º Seminário de Administração Pública e Economia do Instituto de Direito Público (IDP), ele criticou o “pessimismo” e diz que, por isso, não lê mais jornais.

“Não tenho lido muito para não desanimar porque nos jornais há dois Brasis, um dos críticos e outro dos que veem as coisas de forma mais construtiva”.

Queda “localizada”, justifica o ministro

Após divulgação nesta quinta-feira (2) de que o Produto Interno Bruto (PIB) teve diminuição de 0,1% no terceiro trimestre, Guedes afirmou ao blog da Ana Flor, no G1, que a queda foi “localizada”. Segundo ele, o grande culpado é o impacto da crise hídrica na agricultura e na indústria.

“A agricultura caiu 8%, mas setor de serviços, por exemplo, se recuperou. Foi uma queda localizada”, disse o ministro. “Falar em crescimento é falar em investimento”, continuou, ressaltando que a taxa de investimento na economia está em quase 20%, “ponto mais alto desde o 3º trimestre de 2014”.

“Recuperação em V” da economia

Com a segunda queda trimestral no PIB – no segundo trimestre também houve recuo de 0,1% -, o Brasil entra em recessão técnica, enquanto a maioria dos países do mundo retomam o crescimento após a atenuação da pandemia do coronavírus.

A recessão técnica é quando um país acumula queda no PIB por dois trimestres seguidos. No primeiro trimestre de 2021, houve um crescimento de 1,2%, o que fez Guedes anunciar a “retomada em V” da economia.

Mesmo com os números do segundo trimestre mostrando o contrário, o ministro da Economia insistiu na tese.

“Diziam que eu estava em universo paralelo quando eu dizia que Brasil ia voltar em V. (…) A economia voltou em V, estamos crescendo novamente. Hoje saiu um dado [PIB], é praticamente de lado. Como foi -0,05%, arredondou para -0,1%. Se fosse -0,04% era zero”, disse em setembro, após divulgação dos dados.

Ministério da Economia culpa “fatores climáticos adversos”

Tentando tirar sua parcela de responsabilidade pela crise, o Ministério da Economia publicou nota defendendo que “fatores climáticos adversos” pesaram na queda do PIB.

“É fundamental distinguir o que é política econômica de fatores climáticos adversos e pontuais da natureza. A maior crise hídrica em 90 anos de história e a ocorrência de severas geadas tiveram impacto tanto em setores intensivos em energia como em setores que dependem do clima, como agricultura”, diz.

“A queda de 8% da agropecuária na margem produziu impacto de -0,5 p.p. do PIB no 3T21 contra o trimestre imediatamente anterior. Se fosse zerada a variação da agropecuária na margem, o PIB cresceria na ordem de 0,3% a 0,4% no 3T21 em relação a 2T21”, afirma no comunicado.

Este post foi modificado pela última vez em 3 dez 2021 - 08:48 08:48

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Por
Plinio Teodoro

Última hora

  • Brasil

Justiça determina que Sara Giromini pague R$ 15 mil de indenização a antropóloga

Ex-bolsonarista tem duas semanas para acertar as contas com a acadêmica Débora Diniz, a quem…

23 jan 2022 - 22:54
  • Brasil

Entusiasta da violência policial, Eduardo Bolsonaro se indigna com abordagem a “atiradores”

Deputado de extrema direita é defensor incondicional das policiais e de ações violentas por parte…

23 jan 2022 - 22:27
  • Brasil

VÍDEO: PM bate no rosto de mulher em Porto Seguro (BA)

Policial agrediu jovem em público, mesmo sendo filmado, no sul da Bahia. Imagens geraram indignação…

23 jan 2022 - 21:37
  • Política

Recorde histórico: Bolsonaro repassou R$ 25,1 bilhões a parlamentares do Centrão em 2021

Para "governar", presidente extremista empenhou maior volume do Orçamento de todos os tempos para redutos…

23 jan 2022 - 20:48
  • Debates

Lula avança – Por Aloizio Mercadante

Conforme Lula consolida sua vitória e amplia a vantagem em todas as pesquisas, há um…

23 jan 2022 - 19:30
  • Cultura

25ª Mostra de Cinema de Tiradentes: Chico Diaz em berço esplêndido de criação – Por Filippo Pitanga

Repleta de filmes inéditos e exclusivos, de lançamento mundial, a ditar tendências e diálogos de…

23 jan 2022 - 19:16