Pesquisa Atlas: 69% dos católicos rejeitam Bolsonaro e ricos desembarcam do governo

Entre evangélicos, desaprovação já chega a 45%. O maior índice de rejeição é registrado entre eleitores do Nordeste, onde Bolsonaro é desprezado por 73% da população

O derretimento crescente da popularidade de Jair Bolsonaro (Sem partido) diante das falácias sobre a pandemia e aos ataques sem provas ao sistema eleitoral está sendo ampliado para setores que elegeram o atual presidente e deram suporte ao atual governo até pouco tempo atrás.

Leia também: Rejeição vai a 62% e Bolsonaro seria derrotado até por Mandetta em 2022

Pesquisa Atlas divulgada pelo jornal El País, mostra que o índice de rejeição ao presidente – de 62% no geral – é ainda maior entre católicos, nicho onde 69% se coloca contrário a Bolsonaro.

O mesmo índice se repete na faixa mais pobre – entre aqueles que ganham até R$ 2 mil – e entre os ricos, com salários acima de R$ 10 mil, parcela onde Bolsonaro já exerceu forte influência.

Entre os evangélicos, principal base de apoio junto com os militares, Bolsonaro ainda conta com 52% de apoio, mas 45% já desaprovam seu desempenho.

O maior índice de rejeição é registrado entre eleitores do Nordeste, onde Bolsonaro é desprezado por 73% da população. No Norte, 65% rejeitam o presidente.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR