PP e PL cogitam federação para lançar Bolsonaro como “candidato do Centrão”

Bolsonaro já ensaia abandonar o discurso contra a "velha política" adotado em 2018, após quase 30 anos de Congresso, e prepara novas bravatas para vestir a camisa da ala mais fisiológica do Congresso

O discurso fake de combate à velha política, que propagou em 2018 após quase três décadas enriquecendo na Câmara Federal, deve definitivamente ficar fora das bravatas eleitorais que Jair Bolsonaro (Sem partido) ensaia para tentar a reeleição em 2022.

Notícias relacionadas

Após passar o comando de fato do governo para Ciro Nogueira, presidente do PP alçado à Casa Civil, Bolsonaro deve voltar aos braços do partido pelo qual foi filiado por 11 anos depois de não conseguir viabilizar a própria sigla e ser rejeitado por pelo menos outras três legendas – PRTB, DEM e Patriota.

Em 2022, quando deve protagonizar uma disputa direta contra o ex-presidente Lula, Bolsonaro terá de vestir a camisa de “candidato do Centrão”, principal base fisiológica do Congresso, em uma federação que deve unir o PP ao PL.

Segundo a coluna Painel, da Folha de S.Paulo nesta quarta-feira (13), PP e PL cogitam formar uma federação – nova roupagem para a coligação, que deve se estender após o resultado das eleições – para “robustecer a bancada no Congresso e fortalecer a sigla para reeleger o presidente”.

O problema, no entanto, é que o PL ainda abriga grupos que têm simpatia por um candidatura Lula e já teriam sinalizado abandonar o barco bolsonarista, mesmo recebendo vultosos recursos do orçamento paralelo.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR