Sara Winter confirma que milícia paramilitar pró-Bolsonaro tem armas em acampamento

Ex-secretária de Damares Alves no Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, Sara "Winter" Geromini diz que armas são para proteção dos membros: "Estamos preparados para dar a vida pela nação"

Ex-feminista e ex-secretária da ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos), Sara “Winter” Geromini, confirmou que membros do grupo paramilitar que montou o acampamento “300 de Brasília” pró-Bolsonaro na Praça dos Três Poderes estão armados.

“Em nosso grupo, existem membros que são CACs (sigla para Colecionador, Atirador e Caçador), outros que possuem armas devidamente registradas nos órgãos competentes. Essas armas servem para a proteção dos próprios membros do acampamento e nada têm a ver com nossa militância”, afirmou em entrevista à BBC Brasil.

Os “300 de Brasília” são alvo de investigação pela Procuradoria-Geral da República. Na semana passada, deputados do PSOL pediram a abertura de um inquérito para apurar a atuação de Sara Winter em suposta “formação de milícia”.

Segundo a ex-secretária de Damares, que publica fotos com armas nas redes sociais, a ação do grupo é de “ação não violenta” e “desobediência civil”, mas que isto não tem nada a ver com armas.

“Em todos os nossos comunicados dizemos claramente utilizamos técnicas de ação não violenta e desobediência civil. O que tem a ver ação não violenta com armas? Engraçado como a alcunha de milícia paramilitar foi rapidamente nos atribuída, mas jamais passou perto dos militantes do MST, que carregam armas e facões”.

Segundo ela, a milícia é a favor de uma “intervenção popular” e alguns “intervencionistas” acampados falam em invasão do Congresso e do STF.

“(Estamos) preparados para dar a vida pela nação, e nossas armas são a fé em Deus, a esperança neste governo e os métodos de ação não violenta”.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.