sexta-feira, 18 set 2020
Publicidade

Sarcástico, Moro leva Dallagnol em ato político na superintendência da PF onde Lula está preso

O ministro da Justiça, Sergio Moro, aprendeu rápido com o chefe, Jair Bolsonaro, a usar o sarcasmo para provocar adversários políticos. Nesta sexta-feira (1º), Moro convidou o procurador Deltan Dallagnol, da Lava Jato, para inaugurar uma delegacia para investigações de crimes financeiros e de corrupção na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde Lula cumpre prisão política.

Presidenta nacional do PT, Gleisi Hoffmann considera o ato uma “provocação indecente ao Supremo Tribunal Federal”. “Essa visita é uma provocação indecente ao STF [Supremo Tribunal Federal], que está para julgar os crimes que Moro cometeu contra Lula”, afirma.

Gleisi disse ainda que Moro tenta desviar o foco dos casos Queiroz e Marielle, que envolvem diretamente o clã Bolsonaro.

“[A ida do ministro a Curitiba é uma] tentativa abjeta de desviar o foco dos casos Queiroz e Marielle. Ministro dos factóides no governo das fake news. O modelo de combate à corrupção de Sergio Moro é conhecido: perdoou as penas dos verdadeiros corruptos em troca de delações contra seu adversário político”, disse, Gleisi.

A Delegacia Modelo de Investigação e Análise Financeira fará parte da Delegacia de Repressão a Corrupção e Crimes Financeiros da PF no Paraná e começou a ser implantada em fevereiro deste ano.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.