Sem reduzir preço dos combustíveis, Bolsonaro apoia projeto de MEI para facilitar empréstimos a caminhoneiros

Bolsonaro se reuniu com o senador Jorginho Melo (PL-SC), autor de Projeto de Lei que inclui caminhoneiros no MEI

Após lançar bravatas de que reduziria o preço dos combustíveis sem interferir na política de preços da Petrobras, pressionando governadores a reverem a incidência de impostos como o ICMS, Jair Bolsonaro (Sem partido) jogou a toalha e agora busca lançar um agrado para não perder apoio de caminhoneiros e enfrentar uma possível greve da categoria.

Na manhã desta quarta-feira (25), Bolsonaro tomou café da manhã com o senador Jorginho Melo (PL-SC), autor da PLP 147/2019, que inclui os caminhoneiros em um sistema de Microempreendedor individual, que está sendo vendido como MEI Caminhoneiro.

“Jorginho, fala do Pronamp [sistema de empréstidos do BNDES para produtores rurais] dos caminhoneiros ai”, disse Bolsonaro ao senador diante de apoiadores na saída do Palácio da Alvorada pela manhã.

O parlamentar catarinense disse, então, que o presidente “deu o aval para o MEI Caminhoneiro”. “Hoje em dia nós temos um MEI normal, cujo faturamento é de até R$ 78 mil por ano e o MEI Caminhoneiro para tudo que eles desejavam, até R$ 300 mil. Vão ter o CNPJ, comprar pneu, peça com CNPJ, que hoje eles não tem. E pagar 11% do salário mínimo”, afirmou o senador.

“O meu café da manhã foi Jorginho Melo, MEI Caminhoneiro e rodovias de Santa Catarina”, falou Bolsonaro a um apoiador do estado, que estava presente no encontro.

O PLP 147/2019 altera dispositivo da Lei Complementar nº 123 de 14 de dezembro de 2006 que “Institui o Estatuto Nacional da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte”, incluindo também os caminhoneiros.

A proposta foi aprovada em primeira votação no Senado em 11 de dezembro de 2019 e está disponível para votação na Câmara.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR