“Tudo bandido”, diz Mourão sobre ação que matou 25 pessoas no Rio, incluindo policial

Sem citar o terror vivido pela comunidade durante as 9h da ação da polícia, Mourão disse que "é um problema sério da cidade do Rio de Janeiro que vamos ter que resolver um dia ou outro”

General da reserva e ex-presidente do Clube Militar do Rio de Janeiro, o vice-presidente, Hamilton Mourão (PRTB), resumiu a ação da polícia na comunidade de Jacarézinho, no Rio de Janeiro, que resultou na chacina de 25 pessoas, incluindo um agente: “Tudo bandido”.

Notícias relacionadas

“Tudo bandido! Entra um policial numa operação normal e leva um tiro na cabeça de cima de uma laje. Lamentavelmente, essas quadrilhas do narcotráfico são verdadeiras narcoguerrilhas, têm controle sob determinadas áreas e é um problema da cidade do Rio de Janeiro”, afirmou o vice-presidente.

Sem citar o terror vivido pela comunidade durante as 9h da ação da polícia, Mourão disse que “é um problema sério da cidade do Rio de Janeiro que vamos ter que resolver um dia ou outro”.

ONU
O Alto Comissariado da Organização das Nações Unidas (ONU) para Direitos Humanos fez críticas à violência policial no Rio de Janeiro e pediu investigações imparciais sobre a chacina do Jacarezinho, que deixou ao menos 25 mortos nesta quinta-feira (6). A entidade diz que o caso confirma o uso excessivo da força por parte de policiais no Rio.

“Estamos profundamente perturbados pelos fatos”, disse Ruppert Colville, porta-voz da ONU.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.