Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
12 de agosto de 2019, 21h12

UNE promete novo tsunami da educação nesta terça-feira

Depois de dois grandes atos em maio deste ano contra os cortes na educação, a entidade convocou mais uma vez os estudante às ruas para mais um "tsunami", que também insurge contra o projeto Future-se do Ministério da Educação.

Foto: CUCA da UNE

Nesta terça-feira (13) está marcada a terceira grande mobilização contra os cortes na Educação promovida pela União Nacional dos Estudantes (UNE). Depois de dois grandes atos em maio deste ano, a entidade convocou mais uma vez os estudante às ruas para mais um “tsunami”, que também surge contra o projeto Future-se do Ministério da Educação (MEC).

As duas manifestações não fizeram o ministro da Educação, Abraham Weintraub, recuar, mas tiveram grande influência na opinião pública, que passou a rechaçar as políticas do governo Bolsonaro para a Educação. Segundo pesquisas do Datafolha, essa foi a área que o governo apresentou maior oscilação negativa perante a opinião pública nos últimos meses.

O “3º Ato em Defesa da Educação” como vem sendo chamado, foi convocado durante o 57º Congresso da UNE, em julho, e vem sofrendo retaliação do MEC. Weintraub, que já exaltou a agressão de militares contra manifestantes, convocou a Força Nacional para agir contra os estudantes.

Em nota assinada pela UNE e mais 180 organizações estudantis, a entidade reconhece o Future-se como “uma entrega das universidades à uma dependência do setor privado e uma desresponsabilização do governo de financiamento público à educação superior”. “Isso também significa retirar a autonomia didático-científica e administrativa das universidades, para ficarem cada vez mais à mercê de interesses privados que buscarão retornos de seus investimentos, acabando com a base de financiamento público da universidade”, diz trecho do texto.

Nesta segunda-feira (12), a entidade entrou com um mandado de segurança contra o uso da Força Nacional para reprimir atos. “A UNE vê com surpresa e preocupação a Portaria que, ilegal e imotivadamente, autoriza o uso da Força Nacional de Segurança Pública para preservação da ordem durante um ato de estudantes que pacifica e ordeiramente se posicionam contra atos do Ministérios da Educação, sem oferecer qualquer risco à incolumidade das pessoas e do patrimônio público”, diz trecho da petição enviada ao Supremo Tribunal de Justiça.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum