Vídeo: Bolsonaro chega de máscara ao Santuário de Aparecida após críticas de bispo à “pátria armada”

Usando máscara de proteção contra a Covid-19, Bolsonaro acenou para os apoiadores, causando aglomeração em frente à Catedral. Mais cedo, dom Orlando Brandes criticou a "pátria do ódio" em sermão.

Jair Bolsonaro (sem partido) chegou no início da tarde desta terça-feira (12) ao Santuário Nacional de Aparecida, no interior paulista, poucas horas depois que o arcebispo dom Orlando Brandes criticou indiretamente o governo, dizendo que para ser “pátria amada não pode ser pátria armada”.

Acompanhado de um forte aparato de segurança e de ao menos um ministro, o “astronauta” Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia”, Bolsonaro andou por alguns metros e depois subiu na porta do carro oficial.

Usando máscara de proteção contra a Covid-19, ele acenou para os apoiadores, causando aglomeração em frente à Catedral, que recebe a visita de milhares de fiéis neste 12 de outubro, dia dedicado à Nossa Senhora Aparecida.

“Pátria do ódio”

Em seu sermão, o arcebispo de Aparecida criticou indiretamente Bolsonaro ao falar sobre fake news e discurso de ódio.

“Para ser pátria amada, seja uma pátria sem ódio. Para ser pátria amada, uma república sem mentira e sem fake news. Pátria amada sem corrupção. E pátria amada com fraternidade. Todos os irmãos construindo a grande família brasileira”, disse Dom Orlando Brandes.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR