Fórumcast, o podcast da Fórum
24 de agosto de 2019, 09h27

Vídeo: Em entrevista em 2016, Bolsonaro anunciava intenção de entregar Amazônia aos EUA

Exploração mineral nas terras indígenas foi usada como justificativa para indicação de Eduardo Bolsonaro à embaixada nos EUA. Mas, em entrevista há 3 anos, Bolsonaro já afirmava que a "Amazônia não é mais nossa" e que é preciso se aproximar de um "país democrático, com poderio nuclear e influência no mundo, para poder explorar com parceria essa região"

Jair Bolsonaro (Foto: Marcos Corrêa/PR)

A devastação da Amazônia em parceria com o “primeiro mundo” – subentendendo-se EUA – para exploração de minérios foi anunciada no final de julho por Jair Bolsonaro (PSL) para justificar a indicação do filho Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), uma “pessoa de confiança minha”, para a embaixada brasileira em Washington.

Se você curte o jornalismo da Fórum clique aqui. Em breve, você terá novidades que vão te colocar numa rede em que ninguém solta a mão de ninguém

“Terra riquíssima (reserva indígena Ianomami). Se junta com a Raposa Serra do Sol, é um absurdo o que temos de minerais ali. Estou procurando o primeiro mundo para explorar essas áreas em parceria e agregando valor. Por isso, eu quero uma pessoa de confiança minha na embaixada dos EUA”, disse Bolsonaro, no dia 27 de julho.

No entanto, uma entrevista para o youtuber Nando Moura em 2016 revela que a política de exploração da floresta em parceria com os EUA foi premeditada por Bolsonaro.

No vídeo, Bolsonaro afirma que a “Amazônia não é mais nossa” e que é preciso se aproximar de um “país democrático, com poderio nuclear e influência no mundo, para poder explorar com parceria essa região”.

Assista


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum