Weintraub critica Talíria Petrone: “Não existe povo negro, existe brasileiro de pele escura”

Em resposta, Talíria disse que quem divide o país "é esse governo, que governa apenas para os que sempre detiveram o poder: homens, ricos, latifundiários - como nos tempos coloniais"

Em pronunciamento na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, fez críticas à deputada federal Talíria Petrone (PSOL-RJ) dizendo que ela não tem o direito de representar os negros do país, pois “não existe povo negro, existe brasileiro de pele escura”.

Se você curte o jornalismo da Fórum clique aqui. Em breve, você terá novidades que vão te colocar numa rede em que ninguém solta a mão de ninguém

O ministro ainda usou como argumento para atacar a deputada que seu avô tinha a pele mais escura do que a dela. “Meu avô era mais escuro que ela. Quando ela se atribui como grande defensora do povo negro, não sei quem lhe deu esse cargo”, disse.

A deputada, que estava presente no debate da Câmara, acusou o ministro de desconhecer sobre educação pública, dizendo que ele é contra cotas raciais e que não tem informações sobre políticas afirmativas no ensino superior. Porém, na sequência, a deputada deixou a comissão por outro compromisso, mas disse que ouviria depois a resposta de Weintraub, que usou a ausência da deputada para atacá-la.

Questionada sobre o caso, a deputada contou à Fórum que vê a fala do ministro como uma tentativa de invisibilizar diversas problemáticas decorrentes do racismo. “Quando o Ministro diz que ‘não existe povo negro’ ele está apagando toda uma história de dor, mas também de resistência, que nosso país passou. Milhares de seres humanos foram sequestrados e escravizados. Esse história traz marcas para o Brasil até os dias de hoje”, respondeu Talíria.

“Precisamos olhar para essa realidade para conseguir transformá-la. Negar a existência do povo negro é na verdade reforçar a tese de que não existe racismo – já que não se trataria de uma questão social, estrutural e política, e sim de apenas uma diversidade de tons”, continuou a deputada. “É lamentável que um Ministro da Educação se recuse a entender isso – assim como faz todo esse governo. A educação é uma das principais ferramentas para combater opressões e violências. Quem divide esse país é esse governo, que governa apenas para os que sempre detiveram o poder: homens, ricos, latifundiários – como nos tempos coloniais”, completou.

Veja o vídeo com a fala do ministro:

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Em 2021, escolha a Fórum.

Todos os dias Fórum publica de 80 a 100 matérias desde às 6h da manhã até à meia-noite. São 18h de textos inéditos feitos pela equipe de 10 jornalistas da redação e também por mais de três dezenas de colaboradores eventuais.

E ainda temos 3 programas diários no YouTube. O Fórum Café, com Cris Coghi e Plínio Teodoro, o Fórum Onze e Meia, com Dri Delorenzo e este editor, e o Jornal da Fórum, com Cynara Menezes. Além de vários outros programas semanais, como o Fórum Sindical, apresentado pela Maria Frô.

Tudo envolve custos. E é uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar neste ano, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

É fácil. Clique em apoiar e escolha a melhor forma de escolher a Fórum em 2021.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR