Bruno Covas, um democrata como o avô, tem morte trágica de câncer como ele em pleno mandato

Prefeito de São Paulo, Covas lutava contra um adenocarcinoma desde 2019; novos pontos foram descobertos em 2021

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas Lopes (PSDB), não resistiu às complicações provocadas por um câncer que lutava desde 2019 e faleceu, às 8h20 da manhã deste domingo (16). O óbito foi confirmado pelo Hospital Sírio-Libanês, onde ele estava internado. Veja nota da Prefeitura de São Paulo abaixo:

“O prefeito de São Paulo Bruno Covas faleceu hoje às 08:20 em decorrência de um câncer da transição esôfago gástrica, com metástase ao diagnóstico, e suas complicações após longo período de tratamento. Ele estava internado no Hospital Sírio-Libanês desde o dia 2 de maio, sob os cuidados das equipes médicas coordenadas pelo Prof. Dr. David Uip, Dr. Artur Katz, Dr. Tulio Eduardo Flesch Pfiffer, Prof. Dr. Raul Cutait e Prof. Dr. Roberto Kalil”, diz a nota.

Covas se afastou das funções na prefeitura em 3 de maio para tratar do câncer metastático que era acometido. Ele lutava contra um adenocarcinoma, entre a região do esôfago e do estômago, desde outubro 2019. Em fevereiro de 2021, foram encontrados novos pontos no fígado e, posteriormente, nos ossos. Em abril, o prefeito sofreu piora em seu estado de saúde com o acúmulo de líquido ao redor dos pulmões e do abdômen que, segundo os médicos, era decorrente da inflamação de um dos tumores.

Bruno Covas

Bruno Covas Lopes nasceu em Santos, no dia 7 de abril de 1980. Formou-se em direito pela Universidade de São Paulo e em economia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Ligado à política desde criança, Bruno era neto do ex-governador do estado de São Paulo Mário Covas e, assim como o avô, filiado ao PSDB. Em 1995, quando foi estudar em São Paulo, no Colégio Bandeirantes, teve a oportunidade de morar com o avô.

A sua carreira começou em 2004, ano que que se candidatou a vice-prefeito de Santos na chapa de Raul Christiano pelo PSDB. Nos anos de 2005 e 2006, foi assessor da liderança dos governos de Alckmin e Cláudio Lembo na Assembleia Legislativa.

Foi deputado estadual, secretário estadual de Meio Ambiente de São Paulo, presidente da Juventude do PSDB e deputado federal. Em 2010, foi novamente candidato a deputado estadual, sendo o mais votado do Estado com 239.150 votos, com mais de 131 mil só na capital paulista.

Em 2015, foi sub-relator da Comissão Parlamentar de Inquérito da Petrobras e membro da Comissão Especial da Maioridade Penal.

Em outubro de 2016, foi eleito vice-prefeito da cidade de São Paulo, na chapa de João Doria, assumindo a prefeitura em 6 de abril de 2018 em razão da renúncia de Doria.

Em 2020, Covas foi reeleito prefeito de São Paulo, tendo conseguido o feito inédito de vencer em todos os distritos eleitorais da cidade no primeiro turno.

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR