Câmara decide nesta sexta-feira se Daniel Silveira permanece preso

O parlamentar passou nesta quinta por audiência de custódia, que confirmou a detenção

A votação da Câmara dos Deputados sobre a manutenção da prisão do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) será realizada na sexta-feira (18), às 17h. Nesta quinta, Silveira passou por audiência de custódia, mas teve a detenção mantida.

“A Câmara dos Deputados realizará amanhã, às 17 horas, a sessão deliberativa para tratar da apreciação da medida cautelar do STF contra o deputado Daniel Silveira. A decisão foi tomada após reunião de líderes”, disse a Mesa Diretora em nota à imprensa.

Após o juiz Airton Vieira, responsável pela audiência de custódia, decidir pela manutenção da prisão em flagrante, cabe à Câmara dos Deputados deliberar sobre o tema, em votação aberta e nominalA expectativa é pela confirmação da decisão do STF. Parlamentares de oposição ainda buscam a cassação do bolsonarista.

São necessários 257 votos (maioria simples) para manter a prisão.

Prisão

O parlamentar foi preso na terça-feira (16) após decisão do ministro Alexandre de Moraes confirmada pelo plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) de forma unânimeEm vídeo publicado horas antes da medida adotada por Moraes, Silveira atacava ministros da Corte e defendia o AI-5.

Celulares

Ainda nesta quinta-feira, a Polícia Federal apreendeu dois aparelhos celulares na cela do deputado na Superintendência da PF do Rio de Janeiro.

Publicidade
Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e pela América Latina, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum Global

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR