Blog do George Marques

direto do Congresso Nacional

O que o brasileiro pensa?
05 de agosto de 2019, 12h10

Câmara: mães de Cazuza e de Renato Russo lançarão frente de enfrentamento ao HIV

A frente será lançada nesta terça-feira na Câmara dos Deputados e conta com mais de 200 assinaturas

05/04/2017- Brasília- DF- Brasil- Plenário da Câmara dos Deputados durante votação do projeto que oferece moratória na dívida com a União a estados superendividados, em troca de ajuste fiscal Foto: Wilson Dias / Agência Brasil

Lucinha Araújo, presidente da Sociedade Viva Cazuza e mãe do cantor Cazuza, e a dona Carminha Manfredini, mãe de Renato Russo, estarão presentes no lançamento da Frente Parlamentar Mista de Enfrentamento às ISTS, do HIV/AIDS e das Hepatites Virais a ser realizado na próxima terça-feira (06/08), na Câmara Federal

A coordenadora da frente, que conta com mais de 200 assinaturas de deputados e senadores, é a deputada federal Erika Kokay (PT-DF).

“O Brasil é referência mundial no enfrentamento do HIV/AIDS, mas ações do governo Bolsonaro têm colocado em risco os avanços que conquistamos ao longo das últimas décadas”, afirma a petista. “O desmonte das políticas públicas da área marcam a importância deste lançamento e da união do parlamento e da sociedade em prol de ações que visem conter os retrocessos”, completa.

Atualmente, especialistas e parlamentares têm manifestado preocupação com o desmonte da Política de HIV e Aids no Brasil, promovida pelo governo Bolsonaro.

Desmonte na política de combate ao HIV

No início de junho parlamentares acionaram a Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), do Ministério Público Federal (MPF), pedindo providências em relação ao decreto 9795 de 2019 que muda a estrutura do Ministério da Saúde.

“Aparentemente parece apenas se tratar de um ato administrativo normal de governo. Ocorre que o referido Decreto altera a estrutura do Ministério da Saúde de modo a inviabilizar o direito à saúde de população vulnerável”, dizem os deputados no texto do documento.

A representação é fundamentada em posicionamento da Associação Brasileira Interdisciplinar de AIDS/Observatório Nacional de Políticas de AIDS (ABIA). A ABIA sustenta que a renomeação do antigo Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das ISTs do HIV/AIDS para Departamento de Doenças de Condições Crônicas e IST, é um erro grave.

Segundo a ABIA, a nova estrutura não irá promover maior integração entre as áreas no novo Departamento, ao afirmar que as patologias ali reunidas (verminoses ao lado de infecções virais- como HIV e Hepatites) possuem diferenças significativas no que se refere a formas de transmissão, escalas de impacto e populações diretamente afetadas.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum