Carro de advogado do clã Bolsonaro estava na casa onde Queiroz se escondia, diz CNN

Segundo a emissora, o veículo de Frederick Wassef estava na garagem da chácara de Atibaia onde o ex-assessor foi preso

A CNN Brasil revelou que o carro do advogado Frederick Wassef, representante legal do presidente Jair Bolsonaro e do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), estava na chácara onde o policial aposentado Fabrício Queiroz se escondia, em Atibaia, durante operação da Polícia Civil realizada nesta quinta-feira (18).

“Ainda pouco nós mostramos um carro na garagem e já confirmamos que é o carro de Frederick Wassef, que é o advogado do Flávio Bolsonaro e da Família Bolsonaro”, afirmou a jornalista Luciana Barreto durante o programa Visão CNN.

Queiroz foi preso na manhã desta quinta-feira (18) pela Polícia Civil em uma chácara em Atibaia, no interior de São Paulo. O imóvel pertence a Frederick Wassef, que é advogado do senador e também do presidente, no caso Adélio Bispo. Policiais e promotores relataram que Queiroz era mantido em esquema de proteção no imóvel, pois já se imaginava que ele poderia ser preso.

Wassef tinha livre trânsito no Palácio do Planalto e chegou a participar da posse do ministro das Comunicações, Fábio Faria (PSD), na quarta-feira (17) e a fazer um escândalo no Planalto no dia 22 de maio com o objetivo de minimizar o vídeo da reunião presidencial de 22 de abril.

Em entrevista concedida à Rádio Gaúcha em abril de 2019, Wassef afirmou o seguinte: “estou no dia a dia aqui com o presidente e com a família Bolsonaro. Eu conheço tudo que tramita na família Bolsonaro”. Em setembro, no entanto, negou que soubesse do paradeiro de Fabrício Queiroz.

Prisão

O ex-assessor foi preso a mando do Ministério Público do Rio de Janeiro no inquérito relacionado ao esquema de “rachadinha” que operava no gabinete do então deputado estadual – e hoje senador – Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Segundo relatório do antigo Conselho de Atividades Financeiras (Coaf), Queiroz movimentou R$ 1,2 milhão de forma “atípica” em sua conta bancária enquanto atuava como assessor do filho do presidente.

As investigações apontam que assessores de Flávio sacavam parte de seus salários e repassavam para Queiroz. Márcia Aguiar, esposa do ex-policial, foi registrada como assessora do gabinete de Flávio por 10 anos. Seu salário bruto era de R$ 9.835,63.

Irritado
Após ignorar apoiadores no cercadinho do Palácio da Alvorada, onde para habitualmente para conversar, Jair Bolsonaro teria chegado irritado no Palácio do Planalto e dito a assessores que vai reagir ao que classificou como cerco jurídico para tentar tirá-lo da presidência.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.