sexta-feira, 25 set 2020
Publicidade

Caso Marielle: STJ dá dez dias para familiares opinarem sobre federalização

Os familiares da vereadora Marielle Franco, assassinada em março de 2018, terão dez dias para se manifestar sobre a possível federalização das investigações da morte da parlamentar e do motorista Anderson Gomes. O prazo foi estabelecido pela ministra Laurita Vaz, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), nesta segunda-feira (23), e abrange tanto os parentes das vítimas quanto os acusados Ronnie Lessa e Domingos Brazão.

Vaz é relatora do caso no STJ e decidiu aceitar os pedidos feitos pelos familiares de Marielle e pelos dois acusados para serem ouvidos sobre a possível federalização do caso, solicitada pela ex-procuradora-geral da República Rachel Dodge e defendida pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro. A magistrada concedeu acesso a parte do inquérito que investiga irregularidades no caso.

João Tancredo, advogado de Monica Benício, viúva de Marielle, disse que a arquiteta é contrária à federalização. “Seria um grande atraso [a federalização], a PF não tem expertise para essa investigação. É lamentável o ministro [Sérgio Moro] ter tomado essa decisão apenas seis meses após nossos requerimentos”, avaliou em entrevista ao Broadcast, do Estado de S. Paulo. A solicitação de Benicio para dar um parecer sobre a federalização não foi aceita.

Em novembro, os parentes de Marielle divulgaram nota criticando a postura de Moro sobre o caso. “Discordamos da postura do ministro da Justiça Sergio Moro, que passou a defender a federalização das investigações do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro obteve avanços importantes e por isso somos favoráveis a que a instituição permaneça responsável pela elucidação caso. Sergio Moro sempre demonstrou pouco interesse pelas investigações do crime”, disseram.

“Somente após a menção ao presidente da República, Jair Bolsonaro, no inquérito, o ministro começou a se declarar publicamente a favor da federalização. Acreditamos que Sergio Moro contribuirá muito mais se ele permanecer afastado das apurações”, afirmaram ainda.

Com informações do Poder 360

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.