Fórumcast, o podcast da Fórum
04 de outubro de 2018, 21h14

Censura: Mino Carta e Fernando Morais são impedidos de visitarem Lula. Vídeo

“Eu e Mino vivemos o golpe fardado, mas agora é o golpe togado. É uma absoluta vergonha. Nós não íamos entrevistar o Lula, tínhamos combinado com ele que íamos apenas visitá-lo”, disse Fernando Morais

Foto: Reprodução/Vídeo

Os jornalistas Mino Carta e Fernando Morais, amigos antigos de Lula, foram impedidos de visitarem o ex-presidente, na tarde desta quinta-feira (4), na sede da superintendência da Polícia Federal, em Curitiba. A alegação, segundo ambos, é que eles, como jornalistas, poderiam entrevistar Lula, o que está proibido no momento.

“A Justiça achou que poderíamos entrevistar Lula. Evidentemente que não. Nós não queremos prejudicar nem Lula e nem a Polícia Federal. Nós nos comprometemos e demos nossa palavra de honra. Viemos conversar com um amigo antigo e muito querido. Gostaríamos de vê-lo no lugar certo: na presidência do Brasil”, explicou Mino Carta.

O jornalista criticou o momento atual do país: “A situação do Brasil é horrível. É uma vergonha e me entristece o fato de não termos gente disposta a quebrar tudo”, desabafou Carta, não disfarçando a emoção.

Abuso

Fernando Morais foi mais longe: “Não se trata de um abuso contra o Mino, contra mim ou contra o Lula, mas sim contra a sociedade. Eles querem deixar claro quem manda no país. O Toffoli manda no país. Eu e Mino vivemos o golpe fardado, mas agora é o golpe togado. É uma absoluta vergonha. Nós não íamos entrevistar o Lula, tínhamos combinado com ele que íamos apenas visitá-lo”, disse o jornalista e escritor.

Veja também:  "É só comparar": Lula publica vídeo de entrevista falando sobre Amazônia na época em que era presidente

Para finalizar, Morais destacou: “Volto para São Paulo envergonhado de ser brasileiro. Os militares fizeram coisas horríveis, mas não venderam o Brasil, como esses que estão no poder estão fazendo”.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum