Entrevista exclusiva com Lula
24 de maio de 2019, 18h54

“Colocaram um burro na presidência, que só quer armar a população”, diz Haddad

Caravana Lula Livre, comandada pelo ex-ministro da Educação e pela presidenta nacional do PT, Gleisi Hoffmann, está em Santarém, Pará

Foto: Ricardo Stuckert

Comandada pelo ex-ministro da Educação, Fernando Haddad (PT) e pela deputada federal e presidenta nacional do PT, Gleisi Hoffmann, a Cavarana Lula Livre chegou nesta sexta-feira (24) em Santarém, no Pará.

Ambos participaram de um ato em defensa da educação, na Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA). Em discurso, Haddad ressaltou a relevância das práticas de inclusão dos governos do PT. “A imprensa dizia que nós, com a política de colocar os negros e pobres na universidade, íamos acabar com a qualidade. Falavam que era um lugar de mérito e que não podia entrar qualquer um”, destacou.

“Vocês mostraram para essa elite do que são capazes. Do que foi o dia 15 de maio. Eles acharam que as ruas e a bandeira eram deles. Vocês demostraram que tem um projeto de país muito mais sofisticado que eles. Eles falavam que a gente ia colocar gente sem inteligência e capacidade na universidade, mas foram eles que colocaram um burro na presidência, que só quer armar a população”, acrescentou Haddad.

O ex-ministro da Educação também ressaltou a importância da luta pela liberdade do ex-presidente Lula, outro objtivo da caravana.

“Fazemos justiça para todos, mas também para cada um. E se tivermos um injustiçado, temos que olhar para ele. E hoje, infelizmente, temos um preso político nesse país, que é o ex-presidente Lula”, afirmou.

Haddad mencionou, ainda, a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), nesta quinta (23), de criminalizar a homofobia. “Nosso Brasil é o Brasil que se expressou pela decisão de ontem no STF, de que não vamos aceitar nenhuma descriminação ou preconceito”.

Mudança de perfil

Gleisi Hoffmann também destacou a importância da luta pela educação. “Uma das coisas mais importantes é que mudamos o perfil do ensino universitário brasileiro. Hoje, 70% dos alunos vêm de família de baixa renda e isso graças à força da educação da escola pública, que foi importante para que o filho do trabalhador, filho daqueles que dão duro para construir esse país, dos negros, da população indígena pudessem chegar a universidade”, disse Gleisi.

Com informações da Agência PT de Notícias


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum