Com depressão e síndrome do pânico, deputada Mônica Seixas se licencia da Alesp

A parlamentar do PSOL achou melhor se afastar das atividades parlamentares por um período para tratar da saúde mental; o suplente Rui Marcelo assume provisoriamente

A deputada estadual por São Paulo, Mônica Seixas (PSOL), da Bancada Ativista, anunciou, nesta sexta-feira (30), que pediu licença de 120 dias na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) para tratar da saúde mental.

Mônica foi diagnosticada com depressão e síndrome do pânico e achou melhor se afastar das atividades parlamentares por um período. Quem assume é o suplente Raul Marcelo.

Publicidade
Publicidade

A equipe da deputada divulgou um comunicado para explicar a situação de Mônica.

“Militante ecossocialista, Mônica ocupa, atualmente, a titularidade na subcomissão da água, espaço importante de formulação de políticas públicas para o enfrentamento à crise ambiental.

Publicidade

Como mulher negra e mãe, tem como centro de sua atuação política a luta antirracista e feminista. Além disso, nos últimos anos batalhou, ao lado da população LGBTQIA+, contra a discriminação e a violência. Essas são bandeiras do PSOL, que seguirão sendo defendidas por seu suplente, que assume temporariamente a cadeira na Alesp.

Mônica, recentemente, perdeu o pai e, durante esse período de afastamento, terá como prioridade absoluta o cuidado com sua saúde física e mental ao lado do filho, de seus familiares e amigos próximos.

Publicidade

Esperamos o pronto restabelecimento da nossa companheira e amiga Mônica, com a certeza de que, em breve, ela estará de volta para as muitas lutas que temos pela frente”.

Avatar de Lucas Vasques

Lucas Vasques

Jornalista e redator da Revista Fórum.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR