Com PTB de vice na disputa em SBC, Luiz Marinho diz que Roberto Jefferson tentou boicotar aliança

Presidente do PTB teria argumentado que está "tentando construir um partido conservador" e que, para isso, precisa "cotovelar o PT"

Em entrevista ao Fórum Café nesta terça-feira (20), o ex-ministro do governo Lula e candidato do PT à prefeitura de São Bernardo do Campo (SP), Luiz Marinho, comentou sobre sua aliança com partidos conservadores nas eleições deste ano e diz que o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, tentou boicotar sua chapa com Ana Paula Lupino (PTB).

“Nós arregimentamos uma advogada, secretária da OAB, militante importante com uma cabeça interessante, olhando a participação da mulher, e acertamos isso com a direção do PTB em São Paulo. Depois da convenção, a gente é surpreendido com uma decisão extremamente autoritária do Roberto Jefferson. Vencemos essa disputa na eleição, já transitado em julgado, e vamos em frente”, contou Marinho.

Em seguida, o candidato do PT diz que chegou a conversar com Jefferson sobre a tentativa de boicote à chapa. “Até falei com ele. ‘Marinho, você tem que entender que estou tentando construir um partido conservador, e portanto eu preciso cotovelar o PT’. Bom, cotovela a vontade, nós vamos brigar e seja o que Deus quiser”, teria respondido o ex-prefeito.

Sobre a falta de aliança entre partidos de esquerda nas eleições deste ano, tanto em São Bernardo quanto em São Paulo, Marinho diz que trata-se de uma estratégia para o segundo turno.

“Cada eleição tem a sua característica. Em São Bernardo, tem legendas conservadoras comigo. Nós temos PL, temos PTB. Estão conosco o Solidariedade, o PDT, o PCdoB, nós estamos com seis partidos. O PSOL avaliou estar comigo, mas por incongruências internas, para a manutenção da unidade do partido, acabou com candidatura própria. Tenho certeza que em um eventual segundo turno estaremos todos juntos”, afirma.

“A melhor experiência no caso de dois turnos é saber qual é o adversário. A estratégia passa olhando para 2022 e vendo as possibilidades em cada cidade. Se o Jilmar crescer e ir para o segundo turno, Boulos estará junto. Tenho certeza que se for Boulos, nós estaremos com Boulos. É preciso olhar o panorama de um eventual segundo turno, qual a candidatura mais forte para derrotar a direita”, completa.

Confira a entrevista na íntegra:

Avatar de Luisa Fragão

Luisa Fragão

Jornalista.