Comissão do voto impresso inicia com embates entre governo e oposição

Governistas atacaram o sistema eleitoral e quase perderam a primeira votação da comissão

A comissão que vai analisar a proposta do voto impresso iniciou os trabalhos nesta segunda-feira (5) com discussões entre governistas e integrantes da oposição.

Segundo informações do jornalista Evandro Éboli, de O Globo, a oposição quase conseguiu adiar a sessão que inaugurou a comissão da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 135/19, do voto impresso, mas a votação terminou em 15 a 15 e foi desempatada pelo relator, o bolsonarista Filipe Barros (PSL-PR).

São 34 titulares na comissão, mas nem todos votaram. Pelo menos 17 seriam contra a proposta, que é defendida pelo presidente Jair Bolsonaro. Apoiaram a retirada de pauta PT, PSD, PSDB, MDB, PDT, PSOL, PCdoB e PV. Foram contra PSL, PP, DEM, Cidadania, Republicanos, PTB, Podemos, Patriota, Novo e PSC. O PSB se dividiu. Veja aqui como votou cada deputado.

No relatório, Barros recomenda a adoção de urna eletrônica que tenha uma impressora acoplada. O recibo impresso seria depositado em uma urna para contagem por meio de equipamentos automatizados.

Na sessão, bolsonaristas atacaram ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e o sistema eleitoral. “Não temos confiança nos ministros que abrem processos por atos antidemocráticos. Não dá para confiar. Não confiamos 100% no sistema de softwares nem nos desenvolvedores, que podem sim programar eventuais fraudes”, afirmou Carolina de Toni (PSL-SC).

Orlando Silva (PCdoB-SP) protestou: “Olha o que acabamos de ouvir! Desconfiança sobre ministros e servidores do TSE! Outra coisa. Não suporto ouvir a ameaça do presidente da República de que, se não houver voto auditável, ele não se responsabiliza com o que pode ocorrer no país em 2022. Se isso não é pressão de um poder sobre o outro é o quê? É a ameaça de um levante e de uma insurreição?”.

Com informações de O Globo e Agência Câmara de Notícias

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e pela América Latina, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum Global

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR