Confira a apresentação de Joice Hasselmann que expõe a milícia virtual de Carlos Bolsonaro

Deputada revelou em CPMI detalhes sobre a rede de fake news comandada por Carlos Bolsonaro com recursos públicos; confira a íntegra dos slides

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), ex-líder do governo no Congresso, convidada para audiência na na CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) das fake news na tarde desta quarta-feira (4), produziu uma apresentação de Power Point com prints de conversas do grupo do Gabinete do Ódio no Instagram. A parlamentar exibiu o esquema das milícias bolsonaristas , detalhou os integrantes e explicou, com exemplos concretos, como o caso do ator Leonardo DiCaprio, como funciona a difusão de fake news através de ações coordenadas entre perfis falsos, perfis verdadeiros e robôs.

Segundo a parlamentar, Carlos Bolsonaro coordena o chamado “Gabinete do Ódio”, formado por Filipe Martins, Tercio Arnaud, José Matheus e Mateus Diniz. Ela afirmou que a equipe recebe cerca de R$ 491 mil em recursos públicos para produzir notícias falsas e memes com o objetivo de atacar ex-aliados e desafetos.

A apresentação de Power Point exibida pela deputada começa com um slide contendo a definição, segundo o código penal, do crime de calúnia. As telas seguintes detalham, com gráficos e teias digitais, as relações entre os principais atores do esquema e explica que, entre influenciadores e perfis verdadeiros, há muitos perfis falsos “para dificultar a responsabilização”. Hasselmann, na apresentação, exibiu até mesmo números: segundo ela, há 1,87 milhões de robôs somente nas contas de Twitter de Jair e Eduardo Bolsonaro.

Os slides explicam também como funciona o “mecanismo”, isto é, a hierarquia da rede de fake news. Segundo a deputada, quem determina o alvo das fake news é Eduardo Bolsonaro.

Confira a íntegra da apresentação de Power Point aqui.

 

 

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR