Política

Corrida de militares no Rio de Janeiro tem apoio a Bolsonaro

O “Corridão do Cazuca” na praia de Copacabana, em homenagem a um sargento morto durante uma operação em favela carioca, tomou contornos políticos com gritos de apoio a Bolsonaro de militares e civis que corriam de calça militar e coturno. Assista

Compartilhar

No último domingo (23) foi realizado, na orla da praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, o “Corridão do Cazuca”, um evento de homenagem à militares e policiais mortos na “guerra contra o narcotráfico” no estado. O ato tem como mote o assassinato, em fevereiro deste ano, do sargento do Exército Bruno Albuquerque Cazuca, durante arrastão na zona oeste da capital fluminense.

Sem camiseta, com calças militares e coturnos, centenas de homens correram gritando palavras de ordem como “Cazuca” e “Brasil”. O que seria uma manifestação apenas em homenagem a militares mortos, no entanto, acabou tomando contornos políticos. Inúmeros vídeos publicados nas redes sociais mostram os homens gritando palavras de apoio ao candidato Jair Bolsonaro (PSL), como “mito”, “Bolsonaro” e “dezessete”, em referência ao número eleitoral do capitão da reserva. [Confira os vídeos ao final da matéria]

Por conta dos trajes e das palavras de ordem, que muito se assemelham às do Exército, os vídeos se espalharam rapidamente pelas redes sociais, com internautas questionando a postura, visto que militares da ativa são proibidos por lei de se manifestar politicamente.

No evento de divulgação do ato nas redes sociais, os organizadores convocaram para a corrida civis, militares e policiais, sem fazer referência à partidos políticos ou ao candidato Bolsonaro. Muitos dos que passaram pelo evento fizeram postagens nas redes com referência à participação de policiais e bombeiros do Rio de Janeiro. O flyer de divulgação informa ainda que um dos organizadores do ato é a Associação Internacional de Veteranos Militares.

Flyer de divulgação do “Corridão do Cazuca”

À Fórum, o Comando Militar do Leste, responsável pelo Exército no Rio de Janeiro, informou por meio de nota que o evento não contou com a participação de militares da ativa. Já um contato identificado como Edmar, que seria um dos organizadores da corrida, disse à reportagem que participaram do ato cerca de 500 militares, entre ativos e da reserva, e 200 civis.

“Versão tropical dos Freikorps”

Gilberto Maringoni, professor de Relações Internacionais da Universidade Federal do ABC (UFABC), chegou a comparar o ato de militares em encampar apoio à Jair Bolsonaro com grupos paramilitares da Alemanha pré-nazismo.

De acordo com o professor, o ato lembra as exibições dos Freikorps, que seriam grupos paramilitares formados por militares desempregados que saiam pelas ruas atacando gays, judeus e comunistas e que teriam criado o caldo cultural para a ascensão do nazismo.

“Peço a vocês que gastem um minuto e 17 segundos para assistirem o vídeo abaixo. É a praia de Copacabana, há poucos dias. Trata-se de um bando de marginais e lúmpens, recrutados pela campanha do Boçal. São a versão tropical dos Freikorps, grupos de vândalos paramilitares, surgidos na Alemanha, a partir dos escombros da I Guerra Mundial, entre 1918-20. Eram militares desempregados e a escória social que brotou da crise pós-Versalhes. Sua especialidade: sair pelas ruas, atacando comunistas, gays, judeus e manifestações populares. Criaram o caldo de cultura no qual floresceu o nazismo”, escreveu Maringoni.

Confira, abaixo, vídeos que mostram os participantes da corrida encampando apoio à Bolsonaro

Este post foi modificado pela última vez em 26 set 2018 - 17:28 17:28

Ivan Longo

Jornalista, editor de Política, desde 2014 na revista Fórum. Formado pela Faculdade Cásper Líbero (SP). Twitter @ivanlongo_

Por
Ivan Longo

Última hora

  • Brasil

Crimes contra a humanidade: Bolsonaro figura na galeria dos monstros

Acusado formalmente pela CPI de cometer o mais atroz dos delitos, o presidente brasileiro está…

20 out 2021 - 19:25
  • Direitos

Vídeo: Advogado denuncia desapropriação ilegal e violenta em São Bernardo

“A ação foi totalmente ilegal, contrariando decisões do Supremo Tribunal Federal (STF), do Conselho Nacional…

20 out 2021 - 18:39
  • Política

Advogado de Lula sobre PEC 5/21: “Modelo do CNMP não está funcionando”

Em entrevista ao Jornal da Fórum, Cristiano Zanin defendeu mudanças no conselho do Ministério Público;…

20 out 2021 - 18:06
  • Política

Além de suástica nazista, sessão da Câmara de Porto Alegre tem ataque racista contra vereadoras: “Lixo! Empregadas”

Bruna Rodrigues, Daiana Santos e Laura Sito foram verbalmente agredidas por manifestante antivacina que estava…

20 out 2021 - 18:05
  • Coronavírus

Cinco casos de fraude em atestados de óbitos da Prevent Senior são alvos do MP

Três novos alvos de apuração se juntam às mortes de Regina Hang, mãe do empresário…

20 out 2021 - 17:20
  • Política

Grupo antivacina invade Câmara de Porto Alegre, agride vereadores e exibe suástica nazista; veja vídeos

Vestindo verde e amarelo e camisetas das lojas Havan, extremistas deram socos em vereadores e…

20 out 2021 - 17:03