Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
13 de fevereiro de 2020, 14h27

Corrupção na Secom: Wajngarten sugere transferir empresa para a esposa

Para "evitar" conflito de interesses, secretário de Comunicação de Jair Bolsonaro fez a sugestão ao Conselho de Ética Pública da Presidência

Fábio Wajngarten (Foto: Alan Santos/PR)

O chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência (Secom), Fabio Wajngarten, apresentou sua defesa à Comissão de Ética Pública da Presidência nesta quinta-feira (13) em razão das denúncias sobre suposto esquema de corrupção montado por ele na pasta.

Segundo Fábio Fabrini e Julio Wiziack, da Folha de S. Paulo, no documento apresentado ao colegiado, o secretário deu como solução para o imbróglio a transferência de suas ações na empresa FW Comunicação para a esposa, a publicitária Sophie Wajngarten. Ele possui 95% de participação societária.

A FW, empresa pertencente a Wajngarten que oferece ao mercado um serviço conhecido como Controle da Concorrência, é o centro do escândalo que estourou no governo envolvendo o secretário. A empresa tem contratos com ao menos cinco empresas que recebem do governo, entre elas a Band e a Record, cujas participações na verba publicitária da Secom vêm crescendo.

Wajngarten também sugere que a presidência do grupo também seja assumira por Sophie. Hoje quem comanda a FW é Fabio Liberman, irmão de Sammy Liberman – número 2 da Secom.

A remoção de Liberman da presidência foi uma sugestão de ministros do governo Bolsonaro. Eles também teriam aconselhado o secretário a não mais assinar contratos públicos com grupos de mídia que são clientes da empresa dele.

Comissão de Ética

A Comissão de Ética Pública é vinculada ao Presidente da República e tem como objetivo revisar normas que dispõem sobre conduta ética na Administração Pública Federal, elaborar e propor a instituição do Código de Conduta das Autoridades, no âmbito do Poder Executivo Federal.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum