domingo, 25 out 2020
Publicidade

CPIs contra Crivella serão relatadas por bispos da Universal

As comissões de inquérito foram abertas como forma de justificar a rejeição de dois pedidos de impeachment contra o prefeito do Rio

O prefeito Marcelo Crivella, do Rio de Janeiro, conseguiu emplacar aliados fiéis na relatoria das duas Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) formadas contra ele em razão dos últimos escândalos envolvendo a Prefeitura.

Segundo informações do jornalista Victor Ferreira, da GloboNews, o relator da CPI formada para investigar a milícia dos Guardiões de Crivella será Inaldo Silva (Republicanos), bispo licenciado da Universal, enquanto o responsável pela relatoria da comissão criada por conta do chamado “QG da propina” será João Mendes de Jesus (Republicanos), missionário da mesma igreja.

As duas comissões terão o vereador Dr. Jorge Manaia (Progressistas) como presidente. Manaia é aliado fiel do prefeito. Nas CPIs, a maioria dos membros é composta pela base do bispo.

Segundo informações da Câmara do Rio, as CPIs foram instauradas nesta quarta-feira (30) e tem prazo de funcionamento de 120 dias, prorrogável por até 60 dias.

Já nesta quarta, os vereadores que investigam o “QG da propina” pediram informações ao Ministério Público sobre o inquérito aberto e os parlamentares da outra comissão solicitaram uma cópia da ficha funcional de todos os servidores citados nas reportagens da TV Globo. As CPIs foram abertas como forma de justificar a rejeição de pedidos de impeachment contra o prefeito.

Lucas Rocha
Lucas Rocha
Jornalista da Sucursal do Rio de Janeiro da Fórum.