domingo, 20 set 2020
Publicidade

Crivella vai enfrentar nova votação de impeachment

"Marcelo Crivella está se utilizando indevidamente de serviços da Prefeitura, em proveito próprio", diz pedido apresentado pelo PSOL

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, será alvo de nova votação de pedido de impeachment na Câmara de Vereadores do Rio na quinta-feira (17), exatamente duas semanas após ser salvo por pouco. A peça, apresentada novamente pelo PSOL, trata sobre o suposto “QG da propina” que teria sido montado no Palácio da Cidade.

Segundo informações de Juliana Arreguy, do portal Uol, o presidente da Câmara, Jorge Felippe (DEM), confirmou que irá levar o novo pedido à votação na quinta. Para ser aprovado, precisa do apoio de 26 dos 50 parlamentares. Na última tentativa, o placar terminou em 23 a 25, com duas ausências e sem o voto do presidente da Casa. Aquele pedido tratava da milícia dos Guardiões do Crivella, revelada pela TV Globo.

Desta vez a base do pedido é uma investigação do Ministério Público que aponta a existência de um esquema de corrupção comandado por Crivella – e pelo empresário Rafael Alves – e que resultou em mandados de busca e apreensão na casa do prefeito e de assessores. A Operação Hades investiga ainda o envolvimento da Igreja Universal, que teria sido usada para lavagem de dinheiro.

“Marcelo Crivella está se utilizando indevidamente de serviços da Prefeitura, em proveito próprio e, deste modo, procedeu de modo incompatível com a dignidade e o decoro do cargo, além de praticar crime de corrupção para a obtenção de vantagens indevidas, o que configura crime de responsabilidade por praticar ato de sua competência em contrariedade à lei, além de improbidade administrativa. Por isso, deve ter seu mandato cassado por esta Câmara Municipal.”, diz trecho do pedido apresentado pelo PSOL.

Confira aqui o pedido apresentado pelo PSOL

Lucas Rocha
Lucas Rocha
Jornalista da Sucursal do Rio de Janeiro da Fórum.