Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
11 de março de 2019, 11h29

Damares diz que “maior preocupação do presidente é contra a erotização infantil”

Dizendo ser a favor da educação sexual, mas que não acha adequado que uma criança de seis anos seja exposta a um pênis, Damares não quis se manifestar sobre o vídeo escatológico divulgado por Bolsonaro durante o Carnaval, que poderia ser acessado por crianças

A ministra Damares Alves -Foto: Alessandro Dantas

Em uma longa entrevista ao Portal Uol, publicada nesta segunda-feira (11), em que generaliza casos pontuais para defender suas propostas – algumas delas, como o homescholing, sem embasamento acadêmico, como ela admite -, a ministra da Família, Mulher e Direitos Humanos, Damares Alves, passou boa parte do tempo atacando o que ela considera “a erotização das crianças”.

“A maior preocupação do presidente é contra a erotização infantil e já tivemos material governamental que fazia apologia à erotização de crianças”, disse ela, para explicar a “revolta” de Jair Bolsonaro com a caderneta de saúde do adolescente.

Em live pelo facebook na última quinta-feira (7), Bolsonaro criticou imagens que aparecem na “Caderneta Saúde do Adolescente” que mostram como prevenir a gravidez e doenças sexualmente transmissíveis.

Criada em 2008, a caderneta tem o objetivo é informar meninos e meninas de 10 a 19 anos sobre cuidados básicos em saúde, a importância da vacinação, transformações do corpo na adolescência e métodos de prevenção à gravidez e doenças sexualmente transmissíveis.

Para exemplificar a “erotização infantil”, Damares citou “uma imagem, em uma faculdade em Jequié, na Bahia, uma professora se ajoelha para simular como se faz sexo oral em um jovem”. Confrontada pela repórter que crianças não estão na faculdade, a ministra disse que “a gente vê também para a sala de aula professoras levando pênis de borracha para crianças de oito anos”, sem especificar.

Em contradição, a ministra diz que foi abusada aos seis anos, em parte, porque “nunca tinha visto um pênis”. Ela, então, defende a educação sexual para crianças, “mas respeitando ela, com conteúdo certo, pessoa certa”.

Dizendo não ser adequado que uma criança de seis anos seja exposta a um pênis, no entanto, Damares não quis se manifestar sobre o vídeo escatológico divulgado por Bolsonaro durante o Carnaval, que poderia ser acessado por crianças.

Leia a entrevista na íntegra.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum