Datafolha confirma: Lula é líder disparado e pode vencer no 1º turno

Levantamento mostra consolidação de Lula próximo aos 50% de intenções de voto, Bolsonaro estacionado e "terceira via" fraca

Pesquisa Datafolha sobre a corrida presidencial em 2022, divulgada nesta quinta-feira (16), confirma a tendência observada em outros levantamentos recentes: Lula (PT) é o franco favorito para ganhar e mantém a liderança isolada, com chances de liquidar o pleito já no 1ª turno.

Segundo o estudo, Lula tem 48% das intenções de voto e, como a margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos, o petista, virtualmente, pode atingir mais de 50% dos votos e vencer a eleição sem precisar de uma segunda volta.

Já o presidente Jair Bolsonaro (PL) aparece em segundo lugar, com 22%. Depois dele, surgem os candidatos da chamada “terceira via”. Nenhum deles, no entanto, empolgou e não chegam sequer a 10% das intenções de voto.

O terceiro lugar, no momento, é do ex-juiz Sergio Moro (Podemos), que aparece com 9%. Ele é seguido por Ciro Gomes (PDT), com 7%, e pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), com 4%. 8% dos entrevistados votarão em branco ou nulo e outros 2% não sabem ou não responderam.

Como a pesquisa Datafolha anterior, de setembro, trabalhou com possíveis candidatos que não foram listados desta vez, não é possível fazer uma comparação direta entre os dois estudos.

A pesquisa espontânea, isto é, quando o nome do candidato não é citado aos eleitores, contém os mesmos postulantes nos dois estudos. Neste recorte, portanto, é possível fazer comparação e constatar o crescimento de Lula.

Na pesquisa espontânea de setembro, Lula tinha 27%, e agora aparece com 32%. Já Bolsonaro, que tinha 20%, agora consta com 18% das intenções de voto. Nenhum dos outros possíveis candidatos, neste recorte, passou do índice de 2%.

O Datafolha ouviu 3.666 eleitores entre os dias 13 e 16 de dezembro.

Publicidade
Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista, editor de Política, desde 2014 na revista Fórum. Formado pela Faculdade Cásper Líbero (SP). Twitter @ivanlongo_