sábado, 26 set 2020
Publicidade

Demitido após vídeo nazista, Roberto Alvim apaga perfil pessoal no Facebook

Demitido por Jair Bolsonaro, que foi pressionado até mesmo pelo governo de Israel, o ex-secretário Especial de Cultura, o diretor teatral Roberto Alvim, apagou sua conta pessoal no Facebook ao deixar o governo nesta sexta-feira (17).

Julinho Bittencourt: Roberto Alvim consegue a proeza de deixar o governo menor do que entrou

A última publicação de Alvim foi na manhã desta sexta-feira (17), quando publicou uma nota dizendo que foi “apenas uma coincidência retórica” o uso de uma frase do ministro da Propaganda nazista, Joseph Goebbels, no vídeo publicado no perfil oficial da secretaria na noite desta quinta-feira (16).

“Não há nada de errado com a frase. Todo o discurso foi baseado num ideal nacionalista para a Arte brasileira, e houve uma coincidência com UMA frase de um discurso de Goebbles. Não o citei e jamais o faria. Foi, como eu disse, uma coincidência retórica. Mas, a frase em si é perfeita: heroísmo e aspirações do povo é o que queremos verna Arte nacional”, escreveu.

A declaração complicou ainda mais a situação de Alvim, que se tornou insustentável e resultou na demissão do cargo, oficializado por Bolsonaro no início da tarde.

O perfil institucional, criado por Alvim ao assumir a Secretaria Especial de Cultura, em que ostenta uma foto com Jair Bolsonaro e uma capa com os dizeres “Cultura: Base da Pátria”, segue online, embora esteja inativo desde 10 de janeiro.

 

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.