Entrevista exclusiva com Lula
04 de setembro de 2019, 18h34

Depois de ataque ao pai de Bachelet, Marina Silva diz que Bolsonaro é inapto para o cargo

Bolsonaro resolveu, assim como fez com o presidente da OAB, atacar a memória do pai de Michelle Bachelet, morto pela ditadura chilena; atitude provocou reações de parlamentares brasileiros, chilenos e até do presidente do país vizinho

Foto: Elza Fiuza/Agência Brasil

Em mais um episódio de grosseria e falta de sensibilidade com a memória de outras pessoas, o presidente do Brasil atacou covardemente, nesta quarta-feira (4), a comissária da ONU para Direitos Humanos, Michelle Bachelet. O presidente lembrou que o pai da ex-presidente do Chile foi morto pelo governo do ditador Augusto Pinochet.

A fala de Bolsonaro causou revolta em uma série de pessoas, dentre elas a ex-ministra do Meio Ambiente e ex-senadora, Marina Silva (Rede). A ambientalista não poupou críticas ao capitão da reserva, afirmando que ele não tem condições de exercer o cargo que ocupa.

“Ao Presidente, falta decoro. Age sem considerar a dignidade institucional do cargo que ocupa. Ataca continuamente usando a velha e agressiva estratégia dos ataques como forma de defesa. Sua inaptidão ao cargo da Presidência é gritante”, postou em sua conta no Twitter.

“Michelle Bachelet, Comissária dos Direitos Humanos da ONU, seguindo a linha do Macron em se intrometer nos assuntos internos e na soberania brasileira, investe contra o Brasil na agenda de direitos humanos (de bandidos), atacando nossos valorosos policiais civis e militares. Diz ainda que o Brasil perde espaço democrático, mas se esquece que seu país só não é uma Cuba graças aos que tiveram a coragem de dar um basta à esquerda em 1973, entre esses comunistas o seu pai brigadeiro à época”, escreveu Jair Bolsonaro nas redes sociais.

Alberto Bachelet foi preso e torturado em 1973 e morreu um ano depois, em 1974, em uma prisão nos porões da ditadura chilena, uma das mais sangrentas da América do Sul.

A fala de Bolsonaro sobre Bachelet gerou ira entre parlamentares brasileiros, chilenos e causou, inclusive, uma reação de repúdio do atual presidente do Chile, Sebastián Piñera, considerado um representante da direita.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum