Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
06 de dezembro de 2019, 22h17

Deputada bolsonarista usa expressão racista para negar racismo

Bia Kicis usou a expressão "de cor" em dois momentos para se referir a pessoas negras. "Nunca olhei pra uma criança de cor diferente de como eu olhava para meus amigos brancos", disse

Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

A deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) concedeu entrevista ao CB Poder, do Correio Braziliense, nesta sexta-feira (6), e causou polêmica. Kicis disse que a cultura brasileira hoje é “um lixo” e que o Brasil não é um país racista. Para justificar sua argumentação, usou por duas vezes a expressão “de cor”, considerada racista.

“Se alguém que nasce em uma favela é loiro de olho azul ele vai ter a mesma dificuldade de uma pessoa que nasce de uma família ‘de cor'”, afirmou a deputada Bia Kicis tentando negar o racismo. A expressão “de cor” foi ainda repetida em outro momento, quando relatava uma experiência pessoal: “O Brasil é o país da miscigenação, gente. Eu fui criada junto com branco, negro, japonês, tudo embolado. Nunca olhei pra uma criança de cor diferente de como eu olhava para meus amigos brancos. Nós não temos índole racista”.

“Existem pessoas racistas? Existem, eu conheço algumas inclusive”, completou.

Para Kicis, existe uma grande “narrativa” sobre o racismo e o Brasil não é racista. “Existem pessoas racistas, mas a nação brasileira não é uma nação racista. Não existe nenhuma política pública que seja racista. No Brasil nunca foi impedido, por exemplo, um estudante negro de estudar em uma universidade. O que pode acontecer é a dificuldade dele chegar por falta de oportunidade. Mas aí a questão no Brasil não é de racismo não senhor, não é de cor, é questão social. É entre pobre e rico”, afirmou.

A parlamentar atuou como procuradora do Ministério Público do Distrito Federal por 24 anos. Kicis, que foi apontada por Joice Hasselmann como integrante das milícias digitais bolsonaristas, deve deixar o PSL para integrar o Aliança Pelo Brasil, partido promovido pelo presidente Jair Bolsonaro.

Cultura

Na conversa, a parlamentar comentou também que o governo Bolsonaro não promove um desmonte da cultura porque hoje ela “é um lixo”. “Há um desmonte da cultura brasileira já há muito tempo. A cultura brasileira, ela é um nojo hoje em dia. A gente tem que buscar de volta a beleza, a qualidade”, declarou Kicis, dizendo que a ideologia marxista dominou a cultura. “Todos os filmes brasileiros são filmes de ideologia de esquerda nos últimos anos, nas últimas décadas”, completou.

Assista à fala de Bia Kicis sobre racismo 17min17seg:


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum